PM de Bonfinópolis Minas alerta para aumento de crimes contra a mulher

De acordo com o tenente, o número de casos, desde o início da pandemia quase dobrou o número de ocorrências

217
tenente para site
tenente para site

O tenente Cardoso, comandante da Polícia Militar de Bonfinópolis de Minas participou do último episódio da série: Agosto Lilás do Podcast Sem Faz de Conta. Felizmente o município não tem registros de feminicídios, mas os índices de violência doméstica aumentaram. Segundo dados da Polícia Militar da cidade, de janeiro a agosto deste ano, foram atendidas 20 ocorrências envolvendo violência doméstica, dessas, foram geradas 19 medidas protetivas de urgência.

De acordo com o tenente, o número de casos, desde o início da pandemia quase dobrou o número de ocorrências.

Dá um play e ouça abaixo o episódio e compartilhe, gratuitamente! Você também pode ir direto para o Spotfy  e buscar Sem Faz de Conta e ouvir todos os episódios publicados.

WhatsApp Image 2021 08 27 at 16.28.42 1
divulgação Polícia Militar

Segundo o tenente, também entre janeiro e agosto de 2021, foram realizadas blitz educativas, reuniões comunitárias com orientações e dicas de segurança, operações policiais voltadas a prevenção da violência contra a mulher, além de visitas de monitoramento às partes envolvidas em violência doméstica e familiar, conforme protocolos institucionais da Polícia Militar.

Sensibilidade

Mais do que orientação, as mulheres precisam ter a sensação de que não estão sob julgamentos constantes e que, em caso de precisar chamar a Polícia, não terão sua denúncia colocada em dúvida. Além do profissionalismo dos policiais é essencial que, durante o atendimento de uma ocorrência de violência doméstica, o machismo seja colocado de lado e a vítima seja tratada como a parte vulnerável.

Em Bonfinópolis de Minas, as mulheres que se sintam ameaçadas de violência física, devem entrar em contato nos números:

(38) 3675-1971 e (38) 3675- 1969 da Delegacia

190 (emergências policiais)

(38) 9 9949-2189 (telefone funcional 5° Pelotão)

100 (direitos humanos)

197 (Polícia Civil).

O Cras, Conselho Tutelar e Ministério Público também são canais de acolhimento de mulheres vulneráveis sob ameaça de violência.

Além disso, o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos ampliou os canais de denúncias. As mulheres podem baixar o aplicativo Direitos Humanos BR, que recebe denúncias on-line de violência contra a mulher, contra o idoso e contra as crianças. Além do Ligue 180, que é um canal que funciona 24 horas por dia. As vítimas também podem mandar mensagem no WhatsApp ou Telegram. O número é o DDD 61 99656-5008. Qualquer pessoa pode fazer a denúncia e o sigilo é garantido.

COMPARTILHAR
Artigo anteriorDelegada de Bonfinópolis de Minas orienta mulheres a buscarem ajuda em casos de ameaça à integridade
Próximo artigoRainha da sofrência, Marília Mendonça morre em queda de avião em Minas Gerais
Jornalista formada em Brasília tendo a Capital Federal como principal cenário de atuação nos segmentos de revista, internet, jornalismo impresso e assessoria de imprensa. Infraero, Engenho Comunicação, Portal Fato Online e Câmara em Pauta, Revista BNC, Assessoria de Comunicação do Sesc-DF, Empresa Brasil de Comunicação (EBC), Rádio Nacional da Amazônia e Jornal GuaráHOJE/Cidades são algumas das empresas nas quais teve a oportunidade de trabalhar com alguns dos renomados nomes do jornalismo no Brasil, e não perdeu nenhuma chance de aprender com esses profissionais. Na televisão, atuou na TV local de Patos de Minas em 2017, além de experiências acadêmicas. Ana Paula Oliveira nasceu em Bonfinópolis de Minas e foi morar em Brasília aos 14 anos e retorna à cidade natal em 2018. Durante os 20 anos em que passou na capital, a bonfinopolitana não desperdiçou as chances de crescer como pessoa e também como profissional, com garra e determinação. Além disso, conquistou algo não menos fundamental na sua caminhada: amigos. Isso mesmo. Para a jornalista não ter verdadeiros amigos significa ter uma vida vazia. E, com certeza, esse é um dos seus objetivos, fazer novos amigos nessa nova jornada da vida.