20.5 C
Brasília
sexta-feira, julho 19, 2024
Banner Anuncio
Mais...

    Vulnerabilidade Climática de Bonfinópolis de Minas é classificada como extrema

    Considerado referencial para o enfrentamento das mudanças climáticas em Minas Gerais, o Índice Mineiro de Vulnerabilidade Climática (IMVC) foi apresentado nessa terça-feira (25/10) pelo Sistema Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos de Minas Gerais (Sisema), em audiência pública na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG). O índice permite ao Estado identificar os desafios regionais frente às alterações do clima.

    Representando a secretária de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, Marília Melo, o presidente da Fundação Estadual de Meio Ambiente (Feam), Renato Brandão, apresentou o IMVC e o definiu como fundamental para a base das políticas públicas desenvolvidas pelo Governo de Minas para o enfrentamento às mudanças climáticas. “O índice uma junção de três indicadores: sensibilidade, capacidade de adaptação e exposição. O índice final das regiões é a média desses indicadores”, explicou Renato.

    Os dados mostram que, em relação à sensibilidade, cerca de 68% dos municípios têm sensibilidade alta ao clima, sendo 5% com sensibilidade muito alta. A exposição muito alta e extrema encontra-se concentrada no Norte de Minas e no Jequitinhonha. Ao todo, são 102 municípios em Minas Gerais com esses níveis de exposição, onde há cerca de 2 milhões de habitantes.

    Para ter acesso ao Índice Mineiro de Vulnerabilidade Climática, clique aqui.

    tabela
    Plataforma Mineira para adaptação às mudanças climáticas

    COP27

    Essas informações, que traçam o retrato de como as cidades estão vulneráveis às mudanças climáticas em Minas, auxiliam, de acordo com Renato Brandão, nas políticas públicas que estão em desenvolvimento no estado para o enfrentamento das alterações climáticas e seus impactos econômicos, sociais e ambientais.

    Uma dessas ações, conforme destacou Renato Brandão, é o Plano Estadual de Mudanças Climáticas de Minas Gerais que será lançado ainda em novembro, pelo Governo de Minas, durante a Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas de 2022 (COP27), entre os dias 6 e 18/11, no Egito.

    Durante a audiência, Renato apresentou alguns resultados preliminares do plano e disse que, durante a COP27, o Estado mostrará seu planejamento para reduzir os gases de efeito estufa em Minas até 2050, minimizando, assim, os impactos das alterações do clima nas cidades mineiras.

    Recursos hídricos

    O diretor-geral do Instituto Mineiro de Gestão das Águas (Igam), Marcelo Fonseca, também presente na audiência, destacou ainda a elaboração do Plano Mineiro de Segurança Hídrica, que também será lançado em breve e trará benefícios para a gestão hídrica de Minas, por meio de ações de conservação, recuperação, manejo e uso sustentável dos recursos naturais, em especial a água, associadas a mobilizações socioambientais e de revitalização, como: obras de saneamento; reflorestamento; recuperação de áreas de proteção permanente e recarga; recomposição da cobertura vegetal; entre outros.

    Fiscaliza Mais 2022

    A audiência pública foi realizada a requerimento da Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável da ALMG, no âmbito do Fiscaliza Mais 2022. Trata-se de uma iniciativa do parlamento mineiro a qual consiste em um conjunto de atividades das comissões da Assembleia para o acompanhamento intensivo de determinados temas de políticas públicas desenvolvidas pelo Estado.



    Sobre Ana Paula Oliveira
    Jornalista formada em Brasília tendo a Capital Federal como principal cenário de atuação nos segmentos de revista, internet, jornalismo impresso e assessoria de imprensa. Infraero, Engenho Comunicação, Portal Fato Online e Câmara em Pauta, Revista BNC, Assessoria de Comunicação do Sesc-DF, Empresa Brasil de Comunicação (EBC), Rádio Nacional da Amazônia e Jornal GuaráHOJE/Cidades são algumas das empresas nas quais teve a oportunidade de trabalhar com alguns dos renomados nomes do jornalismo no Brasil, e não perdeu nenhuma chance de aprender com esses profissionais. Na televisão, atuou na TV local de Patos de Minas em 2017, além de experiências acadêmicas.
    Ana Paula Oliveira nasceu em Bonfinópolis de Minas e foi morar em Brasília aos 14 anos e retorna à cidade natal em 2018. Durante os 20 anos em que passou na capital, a bonfinopolitana não desperdiçou as chances de crescer como pessoa e também como profissional, com garra e determinação. Além disso, conquistou algo não menos fundamental na sua caminhada: amigos. Isso mesmo. Para a jornalista não ter verdadeiros amigos significa ter uma vida vazia. E, com certeza, esse é um dos seus objetivos, fazer novos amigos nessa nova jornada da vida..

    Destaques

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui

    redes sociais

    0FãsCurtir
    0SeguidoresSeguir

    RECENTES