20.5 C
Brasília
sexta-feira, julho 19, 2024
Banner Anuncio
Mais...

    Servidores públicos de Bonfinópolis de Minas cobram reajuste salarial

    O prefeito, Donizete Antônio dos Santos informou ao Diário de Bonfinópolis, na manhã desta terça-feira (18), que deve encaminhar o projeto de lei, pedindo a revisão anual, ainda nesta semana

    Cerca de 50 servidores públicos e alguns vereadores do Município de Bonfinópolis de Minas se reuniram no plenário da Câmara Municipal, na noite da última segunda-feira (10) para cobrar da Prefeitura o reajuste salarial de 2019, que ainda não foi realizado. Entre outros pedidos, estão o pagamento do retroativo e da recuperação da perda salarial dos últimos anos. Os trabalhadores também reclamaram de falta de satisfação por parte do prefeito e da criação de novos cargos comissionados, com salários superiores aos recebidos pelos servidores de carreira.

    O servidor Eber Pereira, que mediou a reunião, apresentou o levantamento de informações feito por ele, gráfico, contrato de trabalho entre outros dados para demonstrar o quanto os trabalhadores têm “sofrido com a perda salarial”. Segundo ele, esquecer de adequar os salários dos servidores da Prefeitura é uma prática antiga no município. “Apresenta um reajuste num ano e fica dois, três anos sem apresentar reajuste (…) aí as vezes vai lá e dá para um e para outro e o cara acha que isso é o salário dele. E não é. Não é o salário dele”, disse se referindo a benefícios e horas extras, que não configuram ganho real no salário. Os servidores alegam que alguns recebem salários constrangedores, que com os descontos, o valor líquido fica abaixo do salário mínimo, atualmente em R$ 998.

    IMG 5813 min
    Vânio Ferreira Foto: Ana Paula Oliveira

    Para o advogado Vânio Ferreira, contratado pelo Sindsbon (Sindicato dos Servidores e Empregados Públicos de Bonfinópolis de Minas e Região) para solucionar a questão, o mais comprometedor na situação dos servidores públicos do município é a perda salarial. “O reajuste não é obrigatório, mas essa recomposição salarial é obrigatória todo mês de janeiro, e ela ocorre de acordo com a do ano anterior”, disse na reunião. Ferreira também adiantou que não será possível recuperar toda a defasagem salarial, mas pode tentar repor as perdas dos últimos cinco anos.

    Qualquer alteração na folha de pagamento da Prefeitura depende da aprovação da Câmara de Vereadores, mas, antes, o Executivo precisa encaminhar o projeto de lei para o Legislativo. Uma das medidas sugeridas pelo advogado para que o projeto chegue à Casa, é que os vereadores deixem de aprovar outras pautas da Prefeitura enquanto o pedido de reajuste não for encaminhado. “Faz assim: prefeito qual a pauta? Ou você manda o projeto de lei ou não tem pauta. A câmara tem poder para isso. Essa é a forma de pressionar. O presidente da câmara é ele quem delibera o projeto de lei em pauta”.

    A presidente da Câmara, Célia Morais foi na mesma linha. “Eu vou fazer uma proposta para todos os vereadores para a gente não votar em nenhum projeto nessa Casa, que gere despesa, enquanto o prefeito não mandar o projeto de recomposição salarial de todos os servidores”, clamou.

    IMG 5049
    Donizete Antônio dos Santos, prefeito de Bonfinópolis de Minas
    Foto: Ana Paula Oliveira

    Sem entrar em detalhes, o prefeito, Donizete Antônio dos Santos informou ao Diário de Bonfinópolis, na manhã desta terça-feira (18), que deve encaminhar o projeto de lei, pedindo a revisão anual, ainda nesta semana. O gestor explicou que o reajuste não foi feito por falta de recursos financeiros. “Outro motivo é o limite de despesa com pessoal. A Lei de Responsabilidade Fiscal nos impõe limites, e nós já estamos fechando o do ano passado praticamente ultrapassando o limite de prudência. Nós gastamos quase 50% da receita corrente líquida com pagamento da folha dos servidores”, disse.

     

     

     



    Sobre Ana Paula Oliveira
    Jornalista formada em Brasília tendo a Capital Federal como principal cenário de atuação nos segmentos de revista, internet, jornalismo impresso e assessoria de imprensa. Infraero, Engenho Comunicação, Portal Fato Online e Câmara em Pauta, Revista BNC, Assessoria de Comunicação do Sesc-DF, Empresa Brasil de Comunicação (EBC), Rádio Nacional da Amazônia e Jornal GuaráHOJE/Cidades são algumas das empresas nas quais teve a oportunidade de trabalhar com alguns dos renomados nomes do jornalismo no Brasil, e não perdeu nenhuma chance de aprender com esses profissionais. Na televisão, atuou na TV local de Patos de Minas em 2017, além de experiências acadêmicas.
    Ana Paula Oliveira nasceu em Bonfinópolis de Minas e foi morar em Brasília aos 14 anos e retorna à cidade natal em 2018. Durante os 20 anos em que passou na capital, a bonfinopolitana não desperdiçou as chances de crescer como pessoa e também como profissional, com garra e determinação. Além disso, conquistou algo não menos fundamental na sua caminhada: amigos. Isso mesmo. Para a jornalista não ter verdadeiros amigos significa ter uma vida vazia. E, com certeza, esse é um dos seus objetivos, fazer novos amigos nessa nova jornada da vida..

    Destaques

    2 COMENTÁRIOS

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui

    redes sociais

    0FãsCurtir
    0SeguidoresSeguir

    RECENTES