20.5 C
Brasília
segunda-feira, junho 17, 2024
Banner Anuncio
Mais...

    Maracujás produzidos em Bonfinópolis de Minas são vendidos para fábrica de sucos em Carmo do Paranaíba

    Cerca de cinco toneladas do fruto são recolhidas no município toda semana. A região já possui 18 pequenos produtores e a expectativa é a de que esse número aumente

    Toda semana, toneladas de maracujás produzidos na região de Bonfinópolis de Minas são entregues à fábrica Puro Suco, localizada em Carmo do Paranaíba, distante 62 quilômetros de Patos de Minas. No total, são 18 pequenos produtores do fruto, cada um plantou de meia a uma hectare de maracujá em novembro de 2017 e a colheita iniciada em 2018 está sendo distribuída há um mês, na Central das Associações da Agricultura Familiar de Bonfinópolis. Essa é primeira produção e teve o apoio da Capul (Cooperativa Agropecuária), Emater, Senar e a Prefeitura Municipal, que entregou 300 mudas da planta para cada produtor começar a plantação.

    Divulgação.

    A expectativa da Central é a de que mais gente comece a produzir a fruta. “O que a gente pretende é aumentar o número de produtores para que não haja intervalo. Quem está plantando agora, no final da safra vai ter que plantar novas mudas no lugar dessa plantação, que já deu frutos”, disse, a presidente da Central, Rita Fonseca, acrescentando que a produção está no início e as técnicas e o cultivo são novidade para os fazendeiros, por isso, o recomendado é que cada um plante em menor quantidade, cerca de 500 pés de maracujá. A meta é entregar no mínimo 5 toneladas da fruta por semana. Com o objetivo de legalizar e melhorar a comercialização de tudo que é produzido no município, os produtores rurais se mobilizam para criar uma cooperativa de agricultores familiares. Uma reunião está marcada para a próxima quinta-feira (28), no Sindicato dos Trabalhadores, quando será discutida a estrutura e a operacionalização da cooperativa.

    Um dos principais produtores, Renato Coelho, 42, da Comunidade de Riacho das Pedras entrega entre 350 e 400 quilos de maracujá por semana. Na visão dele, a cooperativa é fundamental para o crescimento do agronegócio local. “A associação não pode comercializar os produtos. Se é ilegal, precisa criar a cooperativa. É uma questão de necessidade. Depende do empenho de todos e dos órgão competentes para legalizar isso e agente ter maior volume de produção e maior poder de compra”, comentou.



    Sobre Ana Paula Oliveira
    Jornalista formada em Brasília tendo a Capital Federal como principal cenário de atuação nos segmentos de revista, internet, jornalismo impresso e assessoria de imprensa. Infraero, Engenho Comunicação, Portal Fato Online e Câmara em Pauta, Revista BNC, Assessoria de Comunicação do Sesc-DF, Empresa Brasil de Comunicação (EBC), Rádio Nacional da Amazônia e Jornal GuaráHOJE/Cidades são algumas das empresas nas quais teve a oportunidade de trabalhar com alguns dos renomados nomes do jornalismo no Brasil, e não perdeu nenhuma chance de aprender com esses profissionais. Na televisão, atuou na TV local de Patos de Minas em 2017, além de experiências acadêmicas.
    Ana Paula Oliveira nasceu em Bonfinópolis de Minas e foi morar em Brasília aos 14 anos e retorna à cidade natal em 2018. Durante os 20 anos em que passou na capital, a bonfinopolitana não desperdiçou as chances de crescer como pessoa e também como profissional, com garra e determinação. Além disso, conquistou algo não menos fundamental na sua caminhada: amigos. Isso mesmo. Para a jornalista não ter verdadeiros amigos significa ter uma vida vazia. E, com certeza, esse é um dos seus objetivos, fazer novos amigos nessa nova jornada da vida..

    Destaques

    1 COMENTÁRIO

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui

    redes sociais

    0FãsCurtir
    0SeguidoresSeguir

    RECENTES