Morre bebê sobrevivente de tragédia em Riachinho

O corpo do bebê deve chegar à cidade, nesta sexta para sepultamento. Os pais da criança morreram na hora. Os corpos foram sepultados, nesta manhã

161
Bebê 2
Foto: reprodução Bom Dia Minas

O bebê de 3 meses, que sobreviveu a um grave acidente, ocorrido por volta das 5h, dessa quinta-feira (10/06), em uma ponte a cerca de 40 quilômetros do Município de Riachinho (MG), não resistiu aos ferimentos e morreu na noite passada no Hospital de Base em Brasília. O bebê recebeu os primeiros atendimentos médicos no Hospital Municipal Dr. Joaquim Brochado, em Unaí (MG) e foi levado no helicóptero do Corpo de Bombeiros para Brasília.

O pai e a mãe da criança morreram no local do acidente, após o carro em que eles estavam cair de uma ponte de cinco metros de altura. A família voltava da casa de um amigo, no Assentamento de Lages, próximo ao município mineiro. Segundo o sargento Antônio Damasceno da Polícia Militar de Riachinho, o bebê foi socorrido em um automóvel por terceiros e, durante o trajeto para o hospital, uma ambulância encontrou com o veículo e conduziu o bebê até o hospital de Unaí.

Sepultamento

Ao Diário de Bonfinópolis, o chefe de gabinete da Prefeitura de Riachinho, Vilmar de Jesus informou que a Prefeitura custeou o funeral da mãe e do bebê, já que o pai da criança tinha plano funeral. O casal foi sepultado, na manhã desta sexta-feira (11/06), no cemitério de Riachinho. O corpo do bebê deve chegar à cidade, também, nesta sexta para sepultamento.

Vilmar conta que o casal era jovem, a mulher com pouco mais de 20 anos e o homem com no máximo 30. “A família era conhecida e o rapaz muito querido por todos aqui. Ficamos chocados com a tragédia”, lamentou.

 

 

COMPARTILHAR
Artigo anteriorBebê é encontrado vivo entre os corpos dos pais após carro cair de ponte; menino foi transferido em helicóptero de MG para o DF
Próximo artigoProdutores de maracujá receberão capacitação gratuita e on-line nesta terça-feira (15/06)
Jornalista formada em Brasília tendo a Capital Federal como principal cenário de atuação nos segmentos de revista, internet, jornalismo impresso e assessoria de imprensa. Infraero, Engenho Comunicação, Portal Fato Online e Câmara em Pauta, Revista BNC, Assessoria de Comunicação do Sesc-DF, Empresa Brasil de Comunicação (EBC), Rádio Nacional da Amazônia e Jornal GuaráHOJE/Cidades são algumas das empresas nas quais teve a oportunidade de trabalhar com alguns dos renomados nomes do jornalismo no Brasil, e não perdeu nenhuma chance de aprender com esses profissionais. Na televisão, atuou na TV local de Patos de Minas em 2017, além de experiências acadêmicas. Ana Paula Oliveira nasceu em Bonfinópolis de Minas e foi morar em Brasília aos 14 anos e retorna à cidade natal em 2018. Durante os 20 anos em que passou na capital, a bonfinopolitana não desperdiçou as chances de crescer como pessoa e também como profissional, com garra e determinação. Além disso, conquistou algo não menos fundamental na sua caminhada: amigos. Isso mesmo. Para a jornalista não ter verdadeiros amigos significa ter uma vida vazia. E, com certeza, esse é um dos seus objetivos, fazer novos amigos nessa nova jornada da vida.