Cemig amplia condições para cliente renegociar débitos com adesão ao Programa Desenrola Brasil

Iniciativa é voltada para regularização de dívidas de até R$20 mil

425
Cemig
Foto Reprodução Portal Impacto
Publicidade

A Cemig aderiu ao Programa Desenrola Brasil, iniciativa do Governo Federal que possibilita que os brasileiros renegociem dívidas, regularizando a situação de quem está com o nome negativado.

Com a adesão da empresa ao programa, os clientes da Cemig, que se enquadram nos critérios de participação desta etapa, poderão renegociar débitos junto à companhia com melhores condições de pagamento.

Podem participar desta terceira fase clientes negativados entre 1/1/2019 e 31/12/2022. Além disso, é necessário que o cliente tenha tido renda média formal de até dois salários-mínimos, de janeiro a maio de 2023, ou que ele esteja inscrito no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico).

O prazo para que os clientes Cemig renegociem suas dívidas nesta etapa é até o dia 31/12.

Gerente de Recuperação de Receita da Cemig, Wellington Cancian fala da adesão da empresa ao programa e destaca as vantagens que os consumidores Cemig terão para regularizar débitos com a companhia.

“Ao ingressar nessa etapa do programa federal, a Cemig buscou proporcionar melhores condições de regularização da situação dos clientes inadimplentes. As formas de negociação serão mais interessantes para o consumidor, visto que serão concedidos descontos não praticados usualmente. Além disso, será possível, em algumas situações, parcelar o débito em várias vezes” afirma o gerente.

Posso renegociar?

Ao acessar a plataforma do Governo Federal, desenvolvida para a efetivação do programa, o cliente verificará se está apto a refinanciar dívidas e se débitos pessoais foram contemplados pelo Desenrola Brasil.

Em caso afirmativo, ele encontrará dois possíveis cenários: débitos de até R$5 mil ou débitos entre R$5mil e 20 mil.

Nos casos em que a dívida for de R$5 mil até R$20 mil, o cliente só poderá fazer o pagamento à vista. Mas terá desconto.

Já nos casos em que a dívida for de até R$5 mil, o pagamento poderá ser à vista com desconto expressivo ou, em alguns casos pré-determinados pelo próprio sistema do programa, parcelado em até 60 vezes.

O gerente da Cemig reforça a importância de o cliente inadimplente com a companhia fazer a consulta ao portal do programa para conferir se está inserido nos critérios de participação da iniciativa.

“Muitos clientes não sabem se estão em débito com a empresa ou se enquadram nas regras da proposta. Às vezes, acham que estão com dívidas de valor menor. Por isso, é tão relevante essa consulta, pois é uma ótima oportunidade de regularização. Acreditamos que cerca de 480 mil clientes da companhia poderão se beneficiar da iniciativa”, enfatiza.

Como proceder

A negociação das dívidas até o valor de R$20 mil, por meio do programa Desenrola Brasil, será feita por uma plataforma on-line.

Para acesso a esse sistema digital, é preciso ter conta no ambiente digital do Governo Federal, com níveis de certificação prata ou ouro.

Caso o interessado na renegociação ainda não tenha sua conta na plataforma do Governo Federal, o cadastro poderá ser realizado diretamente no portal www.gov.br ou presencialmente nas agências do INSS, onde deverá buscar informações sobre como obter a certificação nível prata ou ouro.

Além disso, caso o interessado já possua cadastro, mas esteja com as informações desatualizadas, é necessário providenciar a atualização dos dados cadastrais no site para entrar no portal de renegociação de dívidas.

Esse cadastro gratuito é importante porque ele é uma identificação que comprova em meios digitais que os dados informados pelo cidadão são mesmo daquele cidadão.

Informações sobre o programa e o passo a passo para a inscrição no sistema estão disponíveis no endereço www.gov.br/desenrola.

FONTEAgência Minas
Artigo anteriorTemperatura alta e umidade baixa exigem cuidados especiais com o corpo ‌
Próximo artigoGoverno Federal sanciona lei para reduzir filas do INSS
Jornalista formada em Brasília tendo a Capital Federal como principal cenário de atuação nos segmentos de revista, internet, jornalismo impresso e assessoria de imprensa. Infraero, Engenho Comunicação, Portal Fato Online e Câmara em Pauta, Revista BNC, Assessoria de Comunicação do Sesc-DF, Empresa Brasil de Comunicação (EBC), Rádio Nacional da Amazônia e Jornal GuaráHOJE/Cidades são algumas das empresas nas quais teve a oportunidade de trabalhar com alguns dos renomados nomes do jornalismo no Brasil, e não perdeu nenhuma chance de aprender com esses profissionais. Na televisão, atuou na TV local de Patos de Minas em 2017, além de experiências acadêmicas. Ana Paula Oliveira nasceu em Bonfinópolis de Minas e foi morar em Brasília aos 14 anos e retorna à cidade natal em 2018. Durante os 20 anos em que passou na capital, a bonfinopolitana não desperdiçou as chances de crescer como pessoa e também como profissional, com garra e determinação. Além disso, conquistou algo não menos fundamental na sua caminhada: amigos. Isso mesmo. Para a jornalista não ter verdadeiros amigos significa ter uma vida vazia. E, com certeza, esse é um dos seus objetivos, fazer novos amigos nessa nova jornada da vida.