20.5 C
Brasília
terça-feira, maio 21, 2024
Banner Anuncio
Mais...

    Temperatura alta e umidade baixa exigem cuidados especiais com o corpo ‌

    O Distrito Federal viveu seu dia mais quente do ano em pleno mês de novembro. Nesta terça-feira (14), os termômetros da Subestação de Águas Emendadas, em Planaltina, marcaram 37,3ºC. A alta temperatura ainda veio combinada a uma umidade muito baixa, que chegou à casa dos 15%, deixando a Defesa Civil e a Secretaria de Saúde (SES) da capital do país em estado de alerta.

    De acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), as condições climáticas extremas devem seguir até sexta-feira (17) – até lá, o DF e outros 15 estados brasileiros continuam em alerta vermelho. E, ainda que chuvas isoladas e alguma nebulosidade amenizem um pouco a temperatura, os termômetros não devem baixar dos 34ºC.

    “Um sistema de alta pressão tem feito com que a superfície da atmosfera não consiga desenvolver nuvens”, explica a meteorologista Deyse Moraes, do Inmet. “Essa condição gera um tempo mais aberto, um céu mais claro… Faz com que as temperaturas se elevem e a umidade caia.”

    Segundo o Inmet, as condições climáticas extremas devem seguir durante esta semana | Foto: Joel Rodrigues/Agência Brasília

    O calor e a seca têm levado centenas de pessoas às unidades públicas de saúde do DF. Referência técnica distrital de medicina de família e comunidade, Camila Damasceno conta que a desidratação costuma ser a grande vilã, atingindo principalmente crianças e idosos, que precisam de auxílio para manter uma ingestão de líquido adequada.

    “O corpo dá vários sinais de que está desidratado, e é preciso ficar atento a eles”, afirma Camila. “Urina escura e com cheiro forte, sensação de boca seca, com a garganta arranhando, dores de cabeça, tontura, enjoo e até dificuldade de concentração indicam que a pessoa precisa se hidratar.”

    Em média, um adulto saudável deve consumir, por dia, cerca de 30 ml de água por quilo de peso corporal. Por exemplo: uma pessoa com 65 kg precisa beber quase 2 l de água diariamente para ficar bem hidratada. A médica ressalta, no entanto, que outros cuidados devem ser tomados para manter-se saudável em temperaturas mais altas do que o normal.

    Confira alguns deles:

    → Mantenha portas e janelas abertas para que os ambientes fiquem mais frescos e ventilados. Se estiver ao ar livre, procure ficar na sombra para evitar a exposição ao sol;
    → Evite a prática de exercícios físicos das 10h às 16h. O conselho vale para os pets também – nos horários mais quentes, além de ficarem mais cansados, os bichinhos podem queimar as patas no asfalto;
    → Procure usar roupas frescas, feitas com tecidos naturais;
    → Prefira alimentos leves. E cuidado com as bebidas alcoólicas – uma cervejinha gelada pode ser refrescante, mas o álcool colabora para a desidratação do organismo;
    → Abuse do protetor solar e do hidratante corporal para manter a pele protegida e saudável. O mesmo vale para os lábios.

    Driblando o calor

    Onde quer que esteja, o ventilador virou companhia constante do salgadeiro Rosinaldo Santiago, 23 anos. No trabalho, os fornos da cozinha esquentam ainda mais o ambiente, exigindo que o circulador de ar funcione na potência máxima. Quando ele chega em casa, o aparelho não tem descanso, já que abrir as janelas não garante o refresco necessário para uma boa noite de sono.

    “Tenho arrochado o ventilador mesmo, não tem jeito não”, revela o morador de Ceilândia. “A gente acha que está acostumado ao calor, mas esses dias estão demais. Tenho bebido muito mais água do que o normal, e mesmo assim o corpo está sentindo a temperatura mais alta. Tá atrapalhando até para pedalar, porque a gente cansa mais rápido.”

    O economista Marcos Vinicius Dantas, 55, afirma que nunca sofreu tanto com o clima de Brasília. “Está péssimo, a gente já acorda exausto, não tem ânimo para fazer nada”, reclama. Se a situação está ruim para o morador do Lago Norte, imagine para seus dois cachorros da raça bernese, originária dos Alpes Suíços. Com sua pelagem farta e longa, Manolo e Ravena têm exigido cuidados especiais.

    “Estamos investindo em frutas como melancia para melhorar a hidratação”, conta Marcos Vinícius. “Além disso, liberamos os banhos de piscina e temos deixado os dois dormirem dentro de casa, no ar-condicionado”, diz. Na hora de passear com os pets, no entanto, não teve cuidado especial que desse jeito no calor. “Eles costumam andar uns 4 km. Hoje, mal conseguiram completar 1 km”, lamenta o economista.

    Quem quiser receber os alertas da Defesa Civil pode se cadastrar enviando um SMS para o número 4019 com o CEP da residência

    Diante da forte onda de calor, a Defesa Civil tem incluído dicas importantes nos alertas que emitem sobre as condições climáticas do DF. “Nessa terça [14], em São Paulo, um menino de 2 anos veio a óbito, porque foi esquecido dentro de uma van. Então, passamos a atentar para que tutores não deixem crianças e animais dentro de veículos estacionados. A temperatura sobe muito, e o risco de morte é grande”, avisa o capitão Renato Augusto Silva.

    Quem quiser receber os alertas da Defesa Civil pode se cadastrar enviando um SMS para o número 40199. “Basta informar o CEP da residência”, ensina o capitão. “Sempre que as temperaturas superam os 33ºC e a umidade fica abaixo de 30%, geramos um alerta”.



    Sobre Ana Paula Oliveira
    Jornalista formada em Brasília tendo a Capital Federal como principal cenário de atuação nos segmentos de revista, internet, jornalismo impresso e assessoria de imprensa. Infraero, Engenho Comunicação, Portal Fato Online e Câmara em Pauta, Revista BNC, Assessoria de Comunicação do Sesc-DF, Empresa Brasil de Comunicação (EBC), Rádio Nacional da Amazônia e Jornal GuaráHOJE/Cidades são algumas das empresas nas quais teve a oportunidade de trabalhar com alguns dos renomados nomes do jornalismo no Brasil, e não perdeu nenhuma chance de aprender com esses profissionais. Na televisão, atuou na TV local de Patos de Minas em 2017, além de experiências acadêmicas.
    Ana Paula Oliveira nasceu em Bonfinópolis de Minas e foi morar em Brasília aos 14 anos e retorna à cidade natal em 2018. Durante os 20 anos em que passou na capital, a bonfinopolitana não desperdiçou as chances de crescer como pessoa e também como profissional, com garra e determinação. Além disso, conquistou algo não menos fundamental na sua caminhada: amigos. Isso mesmo. Para a jornalista não ter verdadeiros amigos significa ter uma vida vazia. E, com certeza, esse é um dos seus objetivos, fazer novos amigos nessa nova jornada da vida..

    Destaques

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui

    redes sociais

    0FãsCurtir
    0SeguidoresSeguir

    RECENTES