Cerca de 2 milhões sem conta ainda não resgataram auxílio de R$ 600

Presidente da Caixa orientou pessoas a não ir às agências de madrugada

252
APP1
APP1

Dos 18,5 milhões de brasileiros sem conta bancária que receberam a primeira parcela do auxílio emergencial de R$ 600 (R$ 1,2 mil para mães solteiras), 16,49 milhões resgataram o benefício, disse hoje (5) o presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães. Cerca de 2 milhões receberam o dinheiro nas contas poupanças digitais, mas ainda não o movimentaram.

A maior parte dos desbancarizados que fez o resgate optou por transferir o dinheiro para contas da Caixa em nome de parentes ou de amigos. Segundo Guimarães, 7,34 milhões fizeram essa opção, que, conforme explicou, equivale à retirada do auxílio. Uma hipótese para essa opção é de que a conta poupança digital permite transferências ilimitadas e sem custo para outras contas da própria Caixa.

Em segundo lugar, ficou o saque em dinheiro nas agências da Caixa, nos caixas eletrônicos ou em casas lotéricas, com 5,19 milhões de retiradas realizadas até as 14h de hoje. O número representa o contingente que tem ido aos pontos de atendimento nos últimos dias, fazendo longas filas. O saque em espécie da primeira parcela termina hoje para os nascidos em novembro e dezembro, mas quem não conseguiu retirar pode fazê-lo nos próximos dias.

Um total de 3,18 milhões de brasileiros transferiu o dinheiro da conta digital para contas de outros bancos por meio da Transferência Eletrônica Disponível (TED) ou do Documento de Ordem de Crédito (DOC). A conta poupança digital permite até três operações do tipo por mês. Por 90 dias, elas serão gratuitas.

Segundo a Caixa, 398,8 mil pessoas usaram a conta digital para pagarem contas domésticas (água, luz, telefone e gás), 333,1 mil pagaram boletos por meio do aplicativo Caixa Tem e apenas 38,6 mil optaram por receber o benefício em cartões de débito da bandeira ELO.

Pedro Guimarães disse esperar que mais pessoas optem pelo cartão de débito. “Torço para que a gente tenha mais pagamentos e uso do cartão, porque eles representam uma necessidade menor de saques presenciais nas agências”, declarou.

Filas na madrugada

Em entrevista coletiva para fazer um balanço do auxílio emergencial, o presidente da Caixa ressaltou que não há necessidade de as pessoas fazerem filas na madrugada nas portas das agências do banco. Na segunda (27) e na terça-feira (28) da semana passada, problemas tecnológicos atrapalharam os saques em espécie dos beneficiários nascidos de janeiro a abril, mas ele disse que os imprevistos foram resolvidos e que o fluxo de atendimento se normalizou.

Guimarães reclamou que pessoas se aproveitaram da situação para vender lugares na fila. “Várias pessoas estão ficando de madrugada para depois venderem o lugar. Isso não é correto”, queixou-se. Ele reiterou que o movimento nas agências diminuiu em relação à semana passada, apesar de as filas terem continuado hoje.

Apenas hoje, 1,36 milhão de pessoas tinham sacado o benefício em dinheiro das 8h às 14h. “Esse número é quase dez vezes maior que as 143 mil pessoas que tinham sacado o auxílio [em espécie] na segunda-feira da semana passada. Isso mostra que o banco consegue atender quem chega”, disse.

Ele destacou que todas as pessoas que estão chegando até as 14h estão sendo atendidas, mesmo que as agências tenham de fechar mais tarde. Ele disse que o banco reforçou a equipe com 3 mil funcionários para atender ao público nas agências com maior movimento e contratou 4,8 mil vigilantes e 889 recepcionistas.

Com o fim do saque em espécie, Guimarães disse que o movimento nas agências deverá voltar ao normal a partir de amanhã (6). “A grande parte das pessoas já recebeu seu dinheiro. Amanhã é um grande dia para ver o que vai acontecer”, completou.

Calendário

Em relação ao calendário de pagamento da segunda parcela, a ser divulgado nesta semana, o presidente da Caixa disse ter recebido o aval do ministro da Economia, Paulo Guedes, para fazer o pagamento. Segundo Guimarães, ainda falta discutir o cronograma com o ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, e com o presidente Jair Bolsonaro para divulgar as datas.

No sábado (9), cerca de 2,1 mil agências da Caixa em todo o país abrirão para fazerem atendimentos sobre o auxílio emergencial. O banco também porá à disposição cinco caminhões-agências, principalmente no Norte e no Nordeste.

Veja a entrevista na íntegra


Fonte: Agência Brasil

COMPARTILHAR
Artigo anteriorCovid-19: Brasil passa dos 66 mil casos confirmados
Próximo artigoGoverno lança ferramenta de consulta sobre auxílio emergencial
Jornalista formada em Brasília tendo a Capital Federal como principal cenário de atuação nos segmentos de revista, internet, jornalismo impresso e assessoria de imprensa. Infraero, Engenho Comunicação, Portal Fato Online e Câmara em Pauta, Revista BNC, Assessoria de Comunicação do Sesc-DF, Empresa Brasil de Comunicação (EBC), Rádio Nacional da Amazônia e Jornal GuaráHOJE/Cidades são algumas das empresas nas quais teve a oportunidade de trabalhar com alguns dos renomados nomes do jornalismo no Brasil, e não perdeu nenhuma chance de aprender com esses profissionais. Na televisão, atuou na TV local de Patos de Minas em 2017, além de experiências acadêmicas. Ana Paula Oliveira nasceu em Bonfinópolis de Minas e foi morar em Brasília aos 14 anos e retorna à cidade natal em 2018. Durante os 20 anos em que passou na capital, a bonfinopolitana não desperdiçou as chances de crescer como pessoa e também como profissional, com garra e determinação. Além disso, conquistou algo não menos fundamental na sua caminhada: amigos. Isso mesmo. Para a jornalista não ter verdadeiros amigos significa ter uma vida vazia. E, com certeza, esse é um dos seus objetivos, fazer novos amigos nessa nova jornada da vida.