Diário de Bonfinópolis participa de encontro de e-commerce em Brasília

376
Fecomércio
Foto: Cristiano Costa/ Fecomércio-DF

Com o objetivo de levar informação aos comerciantes de Bonfinópolis de Minas, a editora do Diário de Bonfinópolis participou, nessa quinta-feira (17), do 1º Encontro de e-commerce, realizado pela Fecomércio-DF 

O 1º Encontro de e-commerce – A Realidade do Novo Comércio, realizado pela Fecomércio-DF, nessa quinta-feira (17), tratou de todos os temas que permeiam a rotina de quem está acostumado a vender pela internet ou daqueles que possuem loja física e pretendem migrar ou ampliar as possibilidades de comercialização dos seus produtos. Um dos pontos que os especialistas fizeram questão de ressaltar, é que as lojas on-line não eliminam as físicas, ao contrário, as vendas pela internet, podem servir como complemento ou em alguns casos, podem se tornar a principal fonte de vendas.

Mais de 300 pessoas participaram do encontro gratuito, que durou o dia todo, na sede do Centro Empresarial da CNC, em Brasília (DF). O primeiro vice-presidente da CNC, Francisco Valdeci de Sousa Cavalcante, participou da abertura do evento e afirmou que e-commerce é um tema muito importante e que o seminário servirá de espelho para todo o País.

O presidente da Fecomércio-DF, Francisco Maia, disse que a Federação lançará um Centro de Inovação para ajudar os empresários. “As pessoas têm que se atualizar, as vendas online não atrapalham a loja física, ao contrário, uma ajuda a outra. Por isso, esse evento vai ter uma sequência”, frisou Maia. “O diretor de Administração e Finanças do Sebrae do Distrito Federal, João Henrique de Almeida Sousa, também participou da abertura do encontro. O ex-senador e consultor de mercado Jorge Viana foi um dos facilitadores.

Palestras

Professor
Foto: Cristiano Costa/Fecomércio-DF

As tendências de uma revolução que está apenas começando

O professor de economia da Universidade de Santa Catarina, Fernando Richartz deu início às palestras. Segundo ele, o e-commerce não é uma opção, é uma realidade. “O número de pessoas com acesso à internet cresceu muito e esse acesso passou a ser diário. Em pouco tempo, a população brasileira estará totalmente conectada”, declarou. Fábio Bentes, economista da CNC, disse que o consumidor é quem dita o ritmo de compras. “Quando comparamos o comércio eletrônico com o tradicional, parece que eles estão competindo, mas eles não estão. Raras são as empresas exclusivamente eletrônicas. O comércio eletrônico cresceu mais do que o varejo tradicional, porém, não vejo isso como concorrência, mas como oportunidade”, esclareceu Bentes.

O desafio do Marketing: a comunicação e a conversão em tempo real

RONI
Foto: Cristiano Costa/Fecomércio-DF

Empresário e ex-diretor de Marketing Netshoes, Roni Bueno. Segundo ele, houve uma mudança significativa na economia e na forma de consumo nos últimos 10 anos e é isso que faz a diferença nos novos negócios. “Existem dois tipos de economia:a velha economia e a nova economia”, classificou Bueno. “Nos últimos 10 anos, quem tem o poder são as pessoas. E com o smartphone, temos um controle remoto muito poderoso que empodera as pessoas. Quem entendeu isso, surfa bem na nova economia e se dá bem nisso. Essa é a dicotomia da nova economia”, explicou o empresário.

Advogado
Foto: Cristiano Costa/ Fecomércio-DF

Segurança

O advogado Ronaldo Bach e Lucas Camargo, da Insta Buy, destacaram as principais preocupações que o comerciante deve ter com segurança na internet. “A insegurança também existe na loja física, mas mesmo assim você não vai deixar de abrir seu negócio por conta disso. A internet é um mercado novo que se abre, não é a insegurança que vai te atrapalhar. Não pode ser um obstáculo, mas é preciso ter consciência para se manter seguro. Um exemplo é na hora de contratar uma plataforma de pagamento, por exemplo. É necessário conhecer o seu parceiro, da onde vem, quem é e se segue regras. Alguns cuidados básicos também podem ser tomados, como atualizar seus softwares, instalar antivírus e não instalar aplicativos de origem desconhecida”, disse o professor, advogado e consultor Ronaldo Bach.

Competitividade

O cliente em um cenário cada vez mais competitivo

Maurício
Foto: Cristiano Costa/Fecomércio-DF

CEO da Administrar é Preciso, Maurício Schneider, falou sobre o cenário cada vez mais competitivo. “A tecnologia redesenha o trabalho e aí que vem às implicações para a empresa. Nosso desafio hoje é a tecnologia atual. Em cinco anos será outra. É necessário estar sempre preparado para mudar e vender, redesenhando o trabalho por meio da tecnologia, implementando modelos para captar inovações de todos os lados. Você tem que mudar, caso contrário vamos ficar em um mundo de expectativas. Hoje, a empresa precisa ter diferencial. É a sua responsabilidade fazer a sua empresa mudar, se atualizar. É preciso ter estratégia, implementar, fazer algo”, aconselhou.

Tecnologia

MA
Foto: Cristiano Costa/Fecomércio-DF

“O celular e a internet modificaram a nossa história. A trajetória, a jornada de compras, que antigamente era simples, foi modificada totalmente. A loja física é um ambiente controlado pelas empresas. Com a internet, isso deixa de existir. Hoje, o cliente entra no Google, Facebook, Reclame Aqui e nos sites das empresas. O consumidor troca informação antes de comprar. Deste modo, a jornada do cliente se tornou complexa, deixando de ser uma simples ida a loja. O empresário precisa entender isso, procurar saber os hábitos e quais são as jornadas dos clientes. É necessário pensar fora da caixa e entender o seu mercado”, disse o CEO da Íntima Store, Jean Makdissi.

iso
Foto: Cristiano Costa/Fecomércio-DF

O diretor-executivo de criação da Isobar, Mateus Braga, falou sobre transformações digitais e a necessidade de buscar uma solução adequada para cada modelo de negócio. “A solução do e-commerce não e só o site. Pois a evolução digital vai passar por muitas outras transformações. Fato é: soluções diferentes de negócios na internet vão acontecer. Para cada problema tem uma solução e, inclusive, para alguns problemas têm várias soluções. Outra coisa importante é: fique perto de pessoas que podem te ajudar”, ressaltou. Também participaram do evento, os diretores da Kamelão Color: Karolyne Fernandes e Arlen Ferreira. Além de Guilherme Xavier, que representou os Correios, o principal parceiro dos comerciantes em e-commerce.

Opinião

Eventos como esse reforçam a importância do comerciante tradicional inovar, não só aderindo a internet como ferramenta de venda, mas também, na capacitação da equipe, na melhoria do atendimento, na qualificação de seus produtos e serviços. Na visão da editoria do Diário de Bonfinópolis, antes de ir para a internet, é preciso que os comerciantes invistam nesses quesitos para que estejam preparados para o e-commerce. Além disso, na internet, serão acrescentadas outras exigências, como a agilidade na entrega e uma plataforma de compras, que atenda as necessidades do cliente.

O encontro pode ser exemplo para que gestores públicos de Bonfinópolis de Minas, também invistam no apoio e capacitação dos comerciantes do município nessa área. Atualmente, boa parte da população da cidade, faz compras pela internet. Claro, que esse público leva em conta, os menores preços, variedade e qualidade de produtos. A cidade já conta com pelo menos uma loja, que é física e e-commerce e alguns moradores se tornaram vendedores no Mercado Livre, por exemplo. O que comprova que a venda pela internet não tem fronteiras e que pequenas cidades não estão fora desse caminho sem volta, que é a evolução do mercado.

Colaborou, Daniel Alcântara, repórter da Fecomércio-DF

COMPARTILHAR
Artigo anteriorPrefeito de Bonfinópolis de Minas quer Réveillon e Carnaval no parque de exposições
Próximo artigoPrograma Família na Praça reúne centenas em Bonfinópolis de Minas
Jornalista formada em Brasília tendo a Capital Federal como principal cenário de atuação nos segmentos de revista, internet, jornalismo impresso e assessoria de imprensa. Infraero, Engenho Comunicação, Portal Fato Online e Câmara em Pauta, Revista BNC, Assessoria de Comunicação do Sesc-DF, Empresa Brasil de Comunicação (EBC), Rádio Nacional da Amazônia e Jornal GuaráHOJE/Cidades são algumas das empresas nas quais teve a oportunidade de trabalhar com alguns dos renomados nomes do jornalismo no Brasil, e não perdeu nenhuma chance de aprender com esses profissionais. Na televisão, atuou na TV local de Patos de Minas em 2017, além de experiências acadêmicas. Ana Paula Oliveira nasceu em Bonfinópolis de Minas e foi morar em Brasília aos 14 anos e retorna à cidade natal em 2018. Durante os 20 anos em que passou na capital, a bonfinopolitana não desperdiçou as chances de crescer como pessoa e também como profissional, com garra e determinação. Além disso, conquistou algo não menos fundamental na sua caminhada: amigos. Isso mesmo. Para a jornalista não ter verdadeiros amigos significa ter uma vida vazia. E, com certeza, esse é um dos seus objetivos, fazer novos amigos nessa nova jornada da vida.