Produtores rurais de Bonfinópolis de Minas já podem se filiar à Cooperextra

384
Cooperativa
Apresentação oficial da abertura da Cooperativa de Agricultura Familiar de Bonfinópolis de Minas

 A cota custa R$ 200, 50 % do valor deve ser pago no ato da inscrição e o restante pode ser parcelado em até 12 vezes

A cooperativa da Agricultura Familiar de Bonfinópolis de Minas (Cooperextra) já está disponível para a filiação de pequenos produtores do município. A cota custa R$ 200, 50 % do valor deve ser pago no ato da inscrição e o restante pode ser parcelado em até 12 vezes. O filiando precisa apresentar os documentos pessoais e de produtor rural, exigidos pelo estatuto. O anúncio foi feito na semana passada, na sede da Prefeitura Municipal. Desde o início deste ano, o grupo se organiza para a criação da cooperativa.

Osmar Melgaço
Osmar Melgaço

Os produtores rurais, que praticam qualquer atividade comercial deve procurar o presidente da cooperativa, Osmar Melgaço, na sede da cooperextra, na Central das Associações, no Bairro Brasilinha. “Qualquer produto comercializado, hoje, quanto maior a quantidade, mais viável fica para comercializar, seja na questão de logística, transporte. Uma empresa não se desloca até o município para recolher uma pequena quantidade de produto. Sendo um maior volume de frutas, por exemplo, desperta o interesse dos empresários. O objetivo da cooperativa é fortalecer a comercialização da agricultura familiar”, comentou, Osmar, filho de pequeno produtor.

Luiz
Luiz Araújo

O ex-prefeito de Bonfinópolis de Minas, Luiz Araújo, que atuou na criação da cooperativa, ressaltou a importância em apoiar os pequenos produtores. “Essa preocupação ambiental, intervenções nas propriedades são importantes, mas é preciso promover a produção nessas fazendas”, disse. Araújo também lembrou o receio dos produtores em investir para comercializar. “Sempre tem os questionamentos. E o povo para comprar? Será que o mercado vai absorver minha produção? O grande produtor está vendendo o seu produto?. Será que foi o mercado que abriu a oportunidade ou foi ele que se organizou e ofereceu o produto? Quem dita qual o produto que será comercializado? É o consumidor ou é quem produz? Acho que o poder está nas mãos de quem produz”, comparou, Luiz, explicando que é necessário empreender nas propriedades.

A contadora Floriza de Souza, da Líder Contabilidade de Brasilândia de Minas, esteve à frente de todo o processo burocrático da criação da cooperativa. Ela explicou que o estatuto permite o ingresso de outras atividades comerciais e incentivou os produtores a se filiarem na cooperativa. “Quando fala sobre burocracia tem muitos que acham que vai ser muito difícil e desiste sem tentar”.

Ouça o que a contadora disse sobre a importância da cooperativa e de como a filiação pode alavancar a produção e a comercialização do que é produzido nas propriedades rurais do município.

A abertura oficial da cooperativa ocorreu no mesmo evento em que o prefeito de Bonfinópolis de Minas anunciou o encaminhamento do projeto de apoio à fruticultura à Câmara Municipal. “Também participaram do encontro, jovens produtores de leite do município de Riachinho (MG), alunos da Efan (Escola Família Agrícola de Natalândia), o vereador Zé Lúcio, o presidente da Agência Vale do Urucuia, Idelbrando Ferreira e a vice, Adriana de Oliveira Rocha.

 

COMPARTILHAR
Artigo anteriorCampanha Nacional de Vacinação contra Sarampo é iniciada em Minas Gerais
Próximo artigoSenado aprova MP que deu fim a prazo para o cadastro ambiental rural
Jornalista formada em Brasília tendo a Capital Federal como principal cenário de atuação nos segmentos de revista, internet, jornalismo impresso e assessoria de imprensa. Infraero, Engenho Comunicação, Portal Fato Online e Câmara em Pauta, Revista BNC, Assessoria de Comunicação do Sesc-DF, Empresa Brasil de Comunicação (EBC), Rádio Nacional da Amazônia e Jornal GuaráHOJE/Cidades são algumas das empresas nas quais teve a oportunidade de trabalhar com alguns dos renomados nomes do jornalismo no Brasil, e não perdeu nenhuma chance de aprender com esses profissionais. Na televisão, atuou na TV local de Patos de Minas em 2017, além de experiências acadêmicas. Ana Paula Oliveira nasceu em Bonfinópolis de Minas e foi morar em Brasília aos 14 anos e retorna à cidade natal em 2018. Durante os 20 anos em que passou na capital, a bonfinopolitana não desperdiçou as chances de crescer como pessoa e também como profissional, com garra e determinação. Além disso, conquistou algo não menos fundamental na sua caminhada: amigos. Isso mesmo. Para a jornalista não ter verdadeiros amigos significa ter uma vida vazia. E, com certeza, esse é um dos seus objetivos, fazer novos amigos nessa nova jornada da vida.