20.5 C
Brasília
terça-feira, maio 21, 2024
Banner Anuncio
Mais...

    Governo de Minas amplia acesso a serviço de bloqueio de celular em caso de furto ou roubo

    O Governo de Minas acaba de ampliar o acesso ao serviço de bloqueio de celulares roubados ou furtados do estado, conhecido como Cbloc. A partir desta sexta-feira (26/1), o pedido de bloqueio que garante a proteção de dados do telefone, como fotos, conversas ou senhas salvas, passa a ocorrer também pelo aplicativo de serviços MG APP.

    Até então, as solicitações de bloqueio podiam ser feitas apenas pelo site www.cbloc.seguranca.mg.gov.br.

    A Central de Bloqueio de Celulares (Cbloc) pode ser auxílio, durante o período de Carnaval, para os foliões que tiverem o aparelho subtraído.

    Para além da proteção dos dados pessoais, a plataforma contribui, também, com a Segurança Pública. Isso porque, após o travamento de todo o sistema do aparelho, que gera um apagão, o celular tem menos valor de mercado no mundo do crime. A receptação deixa de ser incentivada.

    A iniciativa

    A Cbloc é uma iniciativa da Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp) e já bloqueou mais de 39 mil aparelhos em cinco anos.

    O sistema tem como vantagem a possibilidade de reversão do bloqueio do celular caso o dono ou as forças de segurança encontrem o telefone.

    “A grande capilaridade do aplicativo MG APP é importante ferramenta de divulgação do serviço, que impossibilita que os celulares bloqueados sejam registrados com novos números, diminuindo, assim, a funcionalidade dos aparelhos”, destacou o assessor da Superintendência de Integração e Planejamento Operacional da Sejusp, Flávio Augusto.

    Ainda segundo ele, “realizar a expansão do serviço antes do Carnaval é estratégia importante para todos os foliões de Minas Gerais, que poderão contar com um serviço eficiente, e fácil de ser acessado”.

    O subsecretário de Transformação Digital e Atendimento ao Cidadão da Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão (Seplag), Rodrigo Diniz, destacou, ainda, que a “funcionalidade de bloqueio também já está disponível na versão web do aplicativo MG APP: www.cidadao.mg.gov.br, para facilitar ainda mais o acesso dos mineiros ao serviço”. A Seplag é parceira da Sejusp na expansão do acesso da plataforma Cbloc.

    Como fazer o bloqueio

    Com poucos cliques, de forma rápida e segura, quem foi vítima do crime de furto ou roubo de celulares pode solicitar bloqueio do aparelho por meio da Cbloc.

    Para isso, precisa ter em mãos o registro da ocorrência, que deverá ser anexada ao processo no site da Cbloc (www.cbloc.seguranca.mg.gov.br) ou no MG APP.

    Também é preciso informar alguns dados pessoais e o número do celular roubado – o que é uma das vantagens da ferramenta já que, por meio dela, não é necessário informar o IMEI (código internacional de identificação do telefone), com muitos números, que geralmente a vítima não tem anotado e que não consegue mais obter pelo telefone, depois de o aparelho ter sido roubado ou furtado.

    Vale ressaltar, ainda, que a Cbloc também busca inibir o furto e o roubo de celulares que ainda não foram vendidos para os consumidores.

    Lojistas e transportadoras poderão solicitar o bloqueio de uma carga completa subtraída, por exemplo, o que inibe o roubo em massa de aparelhos.



    Sobre Ana Paula Oliveira
    Jornalista formada em Brasília tendo a Capital Federal como principal cenário de atuação nos segmentos de revista, internet, jornalismo impresso e assessoria de imprensa. Infraero, Engenho Comunicação, Portal Fato Online e Câmara em Pauta, Revista BNC, Assessoria de Comunicação do Sesc-DF, Empresa Brasil de Comunicação (EBC), Rádio Nacional da Amazônia e Jornal GuaráHOJE/Cidades são algumas das empresas nas quais teve a oportunidade de trabalhar com alguns dos renomados nomes do jornalismo no Brasil, e não perdeu nenhuma chance de aprender com esses profissionais. Na televisão, atuou na TV local de Patos de Minas em 2017, além de experiências acadêmicas.
    Ana Paula Oliveira nasceu em Bonfinópolis de Minas e foi morar em Brasília aos 14 anos e retorna à cidade natal em 2018. Durante os 20 anos em que passou na capital, a bonfinopolitana não desperdiçou as chances de crescer como pessoa e também como profissional, com garra e determinação. Além disso, conquistou algo não menos fundamental na sua caminhada: amigos. Isso mesmo. Para a jornalista não ter verdadeiros amigos significa ter uma vida vazia. E, com certeza, esse é um dos seus objetivos, fazer novos amigos nessa nova jornada da vida..

    Destaques

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui

    redes sociais

    0FãsCurtir
    0SeguidoresSeguir

    RECENTES