20.5 C
Brasília
sexta-feira, julho 19, 2024
Banner Anuncio
Mais...

    MPMG inova em divulgação de campanha preventiva sobre golpe do falso empréstimo

    Em meados de 2021, o promotor de Justiça Eduardo Lovato, que atua na área criminal no Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) em Belo Horizonte, notou um aumento expressivo do número de inquéritos policiais envolvendo o crime do falso empréstimo. De acordo com ele, percebeu-se também que as vítimas não tomavam cuidados ou precauções mínimas para evitar o golpe.

    Nesse tipo de crime, quadrilhas se passam por empresas que oferecem propostas tentadoras e facilitadas de empréstimos, inclusive para negativados, com possibilidade de ter o dinheiro na hora, sem burocracias. Os criminosos fazem anúncios nas redes sociais e na internet. Porém, os golpistas alegam que, para liberar quantia solicitada, necessitam do pagamento de uma taxa. Às vezes, exigem até mais de um pagamento. Depois disso, os criminosos somem com o dinheiro da vítima, que não consegue empréstimo nenhum. Quando a pessoa percebe que caiu em um golpe, já é tarde demais.

    Cartilha

    Segundo o promotor de Justiça, com o agravamento da crise econômica do país, muitas pessoas estão recorrendo a empréstimos para quitar seus compromissos financeiros, como a quitação da casa própria, de mensalidades escolares, pagamentos de aluguéis atrasados. “A pandemia piorou a situação. Isso motivou a ideia de fazer uma cartilha para alertar a população e mostrar como se prevenir da ação dos golpistas”, explica Lovato.

    A sugestão da cartilha foi levada à área de planejamento do MPMG, que acatou a ideia. Além de disponibilizar a cartilha no site e nas redes sociais da instituição, o MPMG decidiu fazer uma experiência inédita de divulgação, tendo em vista a necessidade de alcançar um número expressivo de pessoas que poderiam ser alvo dos golpistas.

    Campanha

    Dessa forma, desde o fim de março, o MPMG iniciou uma contratação do Google para anunciar a cartilha informativa, que está hospedada no Portal da instituição, sobre esse tipo de fraude.

    Funciona assim: quando internautas fazem pesquisas, no Google, sobre empréstimos com diversas combinações de palavras-chaves – como empréstimo urgente, crédito para negativados, entre outras – a campanha com o link para a cartilha do MPMG pode aparecer como anúncio nos resultados da busca.

    A iniciativa dessa forma de divulgação partiu da Coordenadoria de Planejamento Institucional (Copli) e foi articulada com a Assessoria de Comunicação Integrada (Asscom), o Procon-MG e a Coordenadoria Estadual de Combate aos Crimes Cibernéticos (Coeciber).

    O promotor de Justiça Rafael Henrique Martins Fernandes, coordenador da Copli e coordenador de um grupo do MPMG de combate a roubos, conta que a ideia de anúncios no Google surgiu depois de saber que uma quadrilha que aplicava o golpe do falso empréstimo usava essa tática pra captar e enganar as vítimas.

    “Resolvemos adotar a mesma estratégia para ter mais chances de informar e prevenir as pessoas antes que elas caiam no golpe”, comenta. “As pessoas têm acesso à informação no momento próximo de uma tomada de decisão de empréstimo e a outros conteúdos da instituição”, afirma, explicando que, por esse motivo, o projeto recebeu o nome de “Chegando Junto”, ou seja, que a campanha informativa vai chegar ao cidadão junto com os anúncios de empréstimos, inclusive aqueles que eventualmente sejam fraudulentos.

    Números

    Em menos de 2 meses de veiculação do anúncio, cujo início ocorreu se deu em 29 de março, a campanha do MPMG figurou 143 mil vezes entre os resultados de busca no Google sobre empréstimos. Desse total, mais de 12 mil pessoas clicaram no link e foram direcionadas para a cartilha que está no site. A média é de 218 acessos por dia, sendo que o investimento até o momento foi de 3.880 reais. O custo médio para entregar a cartilha a cada pessoa é de 32 centavos.

    Antes dos anúncios no Google, no período entre 21 de dezembro a 21 de fevereiro, a cartilha recebeu 127 cliques, ou seja, cerca de 2 cliques por dia. “Hoje, a nossa cartilha é acessada mais vezes em um único dia do que durante dois meses sem a veiculação do anúncio, potencializando o alcance da informação e a prevenção de golpes em todo o estado”, afirma o coordenador da Copli. Ele lembra que, com o orçamento atual do MPMG, a cartilha aparece em cerca de 10% das buscas.

    O coordenador da Copli ressalta também que, mesmo com orçamento reduzido, no primeiro mês, a campanha alcançou a marca de seis mil cliques, superando a expectativa inicial, que era de conseguir entre 2 a 4 mil cliques.

    Perfil?

    O anúncio no mecanismo de busca também permite que o MPMG tenha dados com o perfil das pessoas que estão buscando informações sobre empréstimos e das que tiveram acesso à cartilha elaborada pela instituição. O público consumidor da cartilha é jovem – quase um terço dos internautas que acessaram a cartilha tem entre 25 e 34 anos. Mais da metade dos cliques foi de pessoas que estão na parte inferior da pirâmide financeira, ou seja, têm renda familiar menor e são mais vulneráveis a caírem no golpe.

    Os dados mostram também que campanha já atingiu cidadãos de cerca de 150 municípios mineiros. Entre as pessoas que clicaram no link da cartilha do MPMG, a maioria é de Belo Horizonte. Em seguida, no ranking das 10 localidades de origem dessas pessoas, estão Contagem, Teófilo Otoni, Uberlândia, Juiz de Fora, Araguari, Montes Claros, Betim, Uberaba e Governador Valadares.

    Para o Coordenador da Copli, este é um piloto que abre uma nova perspectiva de orientação ao cidadão. “Agora temos os números que evidenciam o acerto da estratégia”, salienta. Rafael Fernandes comenta ainda que se trata de um projeto transversal que envolve as áreas de planejamento, consumidor, crimes cibernéticos e comunicação social da instituição. Além disso, também atinge objetivos do Planejamento Estratégico do MPMG. No Consumidor, por exemplo, contempla o propósito de “zelar pela proteção econômica e dignidade dos consumidores”. Já na Comunicação Social, concretiza a meta de “promover comunicação ágil e inovadora que dissemine a missão e atividades institucionais”.

    Para acessar a cartilha sobre o golpe do falso empréstimo, clique aqui.

    SourceMPMG


    Sobre Ana Paula Oliveira
    Jornalista formada em Brasília tendo a Capital Federal como principal cenário de atuação nos segmentos de revista, internet, jornalismo impresso e assessoria de imprensa. Infraero, Engenho Comunicação, Portal Fato Online e Câmara em Pauta, Revista BNC, Assessoria de Comunicação do Sesc-DF, Empresa Brasil de Comunicação (EBC), Rádio Nacional da Amazônia e Jornal GuaráHOJE/Cidades são algumas das empresas nas quais teve a oportunidade de trabalhar com alguns dos renomados nomes do jornalismo no Brasil, e não perdeu nenhuma chance de aprender com esses profissionais. Na televisão, atuou na TV local de Patos de Minas em 2017, além de experiências acadêmicas.
    Ana Paula Oliveira nasceu em Bonfinópolis de Minas e foi morar em Brasília aos 14 anos e retorna à cidade natal em 2018. Durante os 20 anos em que passou na capital, a bonfinopolitana não desperdiçou as chances de crescer como pessoa e também como profissional, com garra e determinação. Além disso, conquistou algo não menos fundamental na sua caminhada: amigos. Isso mesmo. Para a jornalista não ter verdadeiros amigos significa ter uma vida vazia. E, com certeza, esse é um dos seus objetivos, fazer novos amigos nessa nova jornada da vida..

    Destaques

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui

    redes sociais

    0FãsCurtir
    0SeguidoresSeguir

    RECENTES