20.5 C
Brasília
segunda-feira, junho 17, 2024
Banner Anuncio
Mais...

    MPMG oferece canais exclusivos e especializados no atendimento às mulheres vítimas de violência

    Já está no ar o canal exclusivo da Ouvidoria das Mulheres do Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) na internet – um meio especializado para receber demandas relacionadas à violência contra a mulher. Acesse página da Ouvidoria das Mulheres aqui e da Ouvidoria do MPMG aqui.

    Além disso, as mulheres vítimas de violência podem fazer contato com o MPMG pelo WhatsApp (31) 97336-1135, de segunda a sexta, das 8h às 16h30, e pelo telefone (31) 3330-8377, de segunda a sexta, das 8h às 18h.

    Canal on-line

    De acordo com a Ouvidoria do MPMG, o canal de atendimento na internet oferece um formulário on-line específico para atendimentos às mulheres, com acolhida e escuta especializada. No caso de denúncias de violência doméstica e familiar contra meninas e mulheres, o canal também faz o devido encaminhamento às autoridades competentes.

    A página da Ouvidoria das Mulheres traz orientações de como agir em situações urgentes, como e onde pedir medida protetiva, contatos dos órgãos competentes e seus horários de atendimento. O canal também apresenta diversos materiais, disponíveis para download, sobre violência política contra a mulher, como combatê-la e preveni-la.

    “O novo canal permitirá maior apoio às mulheres vítimas de todo tipo de violência, com atendimento especializado por psicóloga, orientação e encaminhamento célere das demandas, possibilitando providência imediata pelos órgãos competentes”, explica a Ouvidora do MPMG, promotora de Justiça Nádia Estela Ferreira Mateus.

    A coordenadora do Centro de Apoio Operacional das Promotorias Justiça de Combate à Violência Doméstica, promotora de Justiça Patrícia Habkouk, explica que um dos objetivos também é aproximar a mulher vítima da agressão ao promotor ou à promotora de Justiça que está à frente do caso. “Dessa forma, a vítima pode ter conhecimento do seu processo”, afirma. Ela comenta que, conforme consta no formulário, “toda mulher tem o direito de procurar a promotora ou o promotor de Justiça da sua comarca e pedir esclarecimentos sobre o processo que iniciou, narrar detalhes da violência que sofreu, apresentar provas e pedir apoio.”

    Inovações

    Uma das inovações do formulário é a presença de campos específicos para orientação e apoio nos casos em que a violência narrada envolva vítima ou autor integrante do MPMG. De acordo com Patrícia, esse item será muito importante para desenvolver políticas internas e ter dados sobre essa violência no âmbito do MPMG.

    A proximidade das eleições também motivou a inserção da violência política de gênero nas questões do formulário e no material de apoio que consta na página da Ouvidoria das Mulheres.

    O formulário on-line foi elaborado pela coordenadora do Centro de Apoio Operacional das Promotorias Justiça de Combate à Violência Doméstica, promotora de Justiça Patrícia Habkouk, pela Ouvidora do MPMG, promotora de Justiça Nádia Estela Ferreira Mateus, e pelo coordenador da Coordenadoria de Apoio Eleitoral, promotor de Justiça Edson de Resende Castro.

    A Ouvidoria

    Instituída em agosto de 2021, por meio de ato da Procuradoria-Geral de Justiça e da Ouvidoria da instituição, a Ouvidoria das Mulheres já estava funcionando, mas não tinha um formulário on-line direcionado para a causa. De acordo com o Ato Conjunto PGJ/Ouvidoria nº. 01, a Ouvidoria das Mulheres do MPMG atua em cooperação com a Ouvidoria Nacional e com as demais unidades do MP brasileiro. Além de receber demandas relacionadas à violência contra a mulher, o órgão promove a integração com outras entidades que atuam com o tema e propor parcerias com instituições públicas e privadas para o aperfeiçoamento das atividades.

    SourceMPMG


    Sobre Ana Paula Oliveira
    Jornalista formada em Brasília tendo a Capital Federal como principal cenário de atuação nos segmentos de revista, internet, jornalismo impresso e assessoria de imprensa. Infraero, Engenho Comunicação, Portal Fato Online e Câmara em Pauta, Revista BNC, Assessoria de Comunicação do Sesc-DF, Empresa Brasil de Comunicação (EBC), Rádio Nacional da Amazônia e Jornal GuaráHOJE/Cidades são algumas das empresas nas quais teve a oportunidade de trabalhar com alguns dos renomados nomes do jornalismo no Brasil, e não perdeu nenhuma chance de aprender com esses profissionais. Na televisão, atuou na TV local de Patos de Minas em 2017, além de experiências acadêmicas.
    Ana Paula Oliveira nasceu em Bonfinópolis de Minas e foi morar em Brasília aos 14 anos e retorna à cidade natal em 2018. Durante os 20 anos em que passou na capital, a bonfinopolitana não desperdiçou as chances de crescer como pessoa e também como profissional, com garra e determinação. Além disso, conquistou algo não menos fundamental na sua caminhada: amigos. Isso mesmo. Para a jornalista não ter verdadeiros amigos significa ter uma vida vazia. E, com certeza, esse é um dos seus objetivos, fazer novos amigos nessa nova jornada da vida..

    Destaques

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui

    redes sociais

    0FãsCurtir
    0SeguidoresSeguir

    RECENTES