20.5 C
Brasília
domingo, julho 21, 2024
Banner Anuncio
Mais...

    Ibaneis estuda atender 80 mil famílias no DF com o Cartão Prato Cheio

    O governador e candidato à reeleição Ibaneis Rocha (MDB) estuda ampliar o número de famílias atendidas pelo Cartão Prato Cheio de 60 mil para 80 mil. A afirmação foi feita em entrevista a jornalistas da CNN Brasil na manhã desta segunda-feira (15). Durante a sabatina, o emedebista também defendeu a atuação do governo na pandemia e o modelo de escolas cívico-militares.

    “No DF eram distribuídas seis mil cestas básicas por mês no governo que nos antecedeu. Hoje, só no Cartão Prato Cheio, são 60 mil pessoas e estudamos aumentar para 80 mil pessoas. São R$ 250 distribuídos por mês, com a família podendo comprar o pão e o leite onde quiser. São R$ 250 que correspondem a três cestas básicas por família. Quem fala da assistência social no DF não está vendo o que está sendo feito”, disse Ibaneis Rocha.

    O emedebista se comprometeu a trabalhar pela redução das filas no atendimento e enumerou ações que convergem para isso, como a contratação de mil servidores na área social e a ampliação da carga horária de 30 horas para 40 horas, além da abertura de novas unidades dos Centros de Referência de Assistência Social (Cras). “Quando assumimos, o governo passado investiu em torno de R$ 1 bilhão na área social. Nós já investimos R$ 2 bilhões”, acrescentou Ibaneis Rocha.

    Implantado em maio de 2020, no auge da pandemia, o Cartão Prato Cheio virou lei em dezembro de 2021. Cada família participante recebe R$ 250 por mês e o benefício pode ser concedido mais de uma vez para a mesma família. A duração do benefício começou com 3 meses, depois 6 e chegou a 9 meses a partir de maio de 2022. Entre maio de 2020 e junho de 2022, mais de 140 mil famílias foram atendidas, levando alimento para 560 mil pessoas. O investimento foi superior a R$ 234 milhões no período.

    Ibaneis ainda citou outros programas, como o Cartão Gás, distribuído a mais de 70 mil famílias por mês, e o Cartão Creche, que permitiu a criação de 15 mil vagas no DF, para defender a maior rede social do país, reconhecida pelo Ministério da Cidadania. Além disso, falou dos programas de qualificação profissional, com o Qualifica DF, que ofertou 50 cursos a 12 mil pessoas, e o RenovaDF, que capacitou mais de 7 mil pessoas e recuperou mais de 600 equipamentos públicos no DF, tendo como consequência a absorção de 3 mil profissionais no setor da construção civil.

    Pandemia

    O governador também trouxe números do combate à pandemia no DF. Foram mais de R$ 3 bilhões investidos na saúde da população, que hoje está 92% vacinada contra a covid-19.

    Ibaneis entregou 3 hospitais acoplados ou modulares, sendo 2 em Ceilândia e 1 em Samambaia, além de 7 Unidades de Pronto Atendimento e dez novas Unidades Básicas de Saúde. Além disso, construiu e desativou hospitais de campanha, fazendo com que o DF chegasse a ter 800 leitos para atendimento.

    “Quem primeiro fechou alguma coisa no país fui e dei o comando para as pessoas ficarem em casa. Abrimos hospitais de campanha, aumentamos a capacidade de atendimento, avançamos na vacinação quando tínhamos vacina e trabalhei quase todos os dias nas ruas, enquanto todos os parlamentares estavam trabalhando de casa pelo fechamento do Congresso e da Câmara Legislativa”, destacou.

    “Fizemos a melhor gestão da pandemia desse país. Nenhum governador fez igual a nós. Tivemos coragem de fechar e de abrir e a população reconhece isso nas pesquisas que tratam de pandemia”, finalizou.

    Ibaneis também respondeu sobre o ensino público e disse que a Secretaria de Educação tem trabalhado no sentido de minimizar os impactos da pandemia. Também respondeu sobre o modelo das escolas de gestão compartilhada com a Polícia Militar e reforçou que pretende chegar a 40 escolas atendidas nesse modelo. Atualmente, são 13 unidades que atendem mais de 18 mil alunos. “

    “É um projeto de bastante êxito. As famílias são agradecidas e o índice de violência diminuiu nessas escolas. O projeto será aumentado, vamos chegar a 40 escolas. Só não aumentou em virtude da pandemia,” encerrou o governador.



    Sobre Ana Paula Oliveira
    Jornalista formada em Brasília tendo a Capital Federal como principal cenário de atuação nos segmentos de revista, internet, jornalismo impresso e assessoria de imprensa. Infraero, Engenho Comunicação, Portal Fato Online e Câmara em Pauta, Revista BNC, Assessoria de Comunicação do Sesc-DF, Empresa Brasil de Comunicação (EBC), Rádio Nacional da Amazônia e Jornal GuaráHOJE/Cidades são algumas das empresas nas quais teve a oportunidade de trabalhar com alguns dos renomados nomes do jornalismo no Brasil, e não perdeu nenhuma chance de aprender com esses profissionais. Na televisão, atuou na TV local de Patos de Minas em 2017, além de experiências acadêmicas.
    Ana Paula Oliveira nasceu em Bonfinópolis de Minas e foi morar em Brasília aos 14 anos e retorna à cidade natal em 2018. Durante os 20 anos em que passou na capital, a bonfinopolitana não desperdiçou as chances de crescer como pessoa e também como profissional, com garra e determinação. Além disso, conquistou algo não menos fundamental na sua caminhada: amigos. Isso mesmo. Para a jornalista não ter verdadeiros amigos significa ter uma vida vazia. E, com certeza, esse é um dos seus objetivos, fazer novos amigos nessa nova jornada da vida..

    Destaques

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui

    redes sociais

    0FãsCurtir
    0SeguidoresSeguir

    RECENTES