20.5 C
Brasília
quarta-feira, maio 22, 2024
Banner Anuncio
Mais...

    Mais 500 câmeras vão reforçar monitoramento das ruas do Distrito Federal

    O uso da tecnologia para redução da criminalidade tem subsidiado ações coordenadas entre a Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal (SSP-DF) e as forças de segurança. Entre as medidas adotadas está o uso de câmeras de videomonitoramento, equipamentos essenciais para acompanhar situações e direcionar policiamento de forma mais ágil e inteligente. Nesta terça-feira (26), foi publicado no Diário Oficial do Distrito Federal (DODF) o extrato de contrato para complemento à contratação de serviços com fornecimento de materiais, compondo o investimento realizado para a continuidade da implantação de novos pontos de captura e manutenção das 980 câmeras já instaladas.

    “Esse aumento do número de câmeras contribui diretamente com a redução da criminalidade, pois, além do melhor emprego do policiamento, pode contribuir com a elucidação de crimes”

    Sandro Avelar, secretário de Segurança Pública

    A nova fase de ampliação, que teve início neste ano e com previsão de finalização em 2025, prevê o aumento de cerca de 500 novas câmeras em regiões administrativas que ainda não contam com a tecnologia e, também, fortalecimento daquelas que já contam com o serviço. Atualmente, 24 RAs possuem câmeras. As imagens são transmitidas em tempo real para o Centro Integrado de Operações de Brasília (Ciob) e, a partir disso, distribuídas ou disponibilizadas às dez Centrais de Monitoramento Remoto (CMRs), instaladas em unidades da Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF). Com o investimento de mais de R$ 1,8 milhão, a previsão é de que quase todas as regiões administrativas estejam monitoradas – 33 das 35.

    O modelo propicia mais agilidade no atendimento à população e contribui com ações de policiamento preventivo pela PMDF. Além disso, pode garantir mais integração entre as forças de segurança, auxiliando nas investigações realizadas pela Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) e órgãos do Judiciário, como Ministério Público e tribunais.

    Por questões estratégicas de segurança, os pontos de instalação não são divulgados. O principal critério para a definição dos locais em que os equipamentos são instalados são as áreas de interesse permanente, definidas com base em levantamentos realizados pela SSP-DF, que analisam as manchas criminais que indicam dias, horários e locais de maior incidência de cada crime, entre outras informações relevantes.

    Novos investimentos

    Os novos equipamentos resultarão em um policiamento mais eficiente nas regiões administrativas que ainda não contam com o sistema de segurança. O projeto vem sendo desenvolvido em etapas, por questões que envolvem fonte de recursos e capacidade operacional da SSP-DF, além dos trâmites próprios dos processos licitatórios e contratuais.

    De acordo com o secretário de Segurança Pública, Sandro Avelar, a implementação de novas câmeras é uma das prioridades do governo e fortalece a segurança em todo o DF. “O programa de videomonitoramento é uma ferramenta que otimiza o emprego de policiamento e atua multiplicando o olhar das forças de segurança em todo DF. Esse aumento do número de câmeras contribui diretamente com a redução da criminalidade, pois, além do melhor emprego do policiamento, pode contribuir com a elucidação de crimes”, destaca.

    O monitoramento das imagens é feito de maneira integrada entre as forças de segurança e outros 29 órgãos, bem como instituições e agências do governo local e federal, com suporte de câmeras de videomonitoramento, e também por levantamentos de inteligência.

    Definição de locais

    O principal critério para a definição dos locais em que os equipamentos são instalados são as áreas de interesse permanente, definidas com base em levantamentos realizados pela SSP-DF, e, também, com orientação de responsáveis por batalhões e delegacias.

    Os estudos apontam as chamadas manchas criminais, em que é possível detectar dias, horários e locais de maior incidência de crimes. As câmeras também são instaladas em áreas de grande circulação de pessoas e de veículos, bem como nas principais vias de acessos das cidades.

    O uso das imagens captadas pelas câmeras de segurança pode contribuir com o encurtamento do tempo de investigação e consequente responsabilização mais rápida do infrator. Sempre que divulgadas as imagens de suspeitos, muito rapidamente surgem denúncias com informações fundamentais para a investigação.

    Inovação

    As câmeras são de alta resolução – 2MP e Full HD – e auxiliam no acompanhamento de manifestações e eventos, além de situações de acidentes de trânsito, apoiando as ações para melhoria da mobilidade na capital e do atendimento emergencial realizado pelo Corpo de Bombeiros do Distrito Federal (CBMDF).

    “A tecnologia de ponta permite atuarmos de forma mais assertiva. O acesso às imagens 24 horas por dia contribui, ainda, com o trabalho dos órgãos que compõem o Ciob”, ressalta o secretário executivo de Segurança Pública, Alexandre Patury.

    O sistema de videomonitoramento da SSP-DF é qualificado como material de acesso restrito, nos termos do Decreto Distrital nº 35.382/2014. Já a Portaria SSP-DF nº 26/2020 dispõe que “as imagens arquivadas ou transmitidas em tempo real oriundas do sistema de videomonitoramento da SSP-DF são de uso privativo no interesse do serviço de segurança pública, vedado o acesso por terceiro ou o fornecimento não autorizado”.



    Sobre Ana Paula Oliveira
    Jornalista formada em Brasília tendo a Capital Federal como principal cenário de atuação nos segmentos de revista, internet, jornalismo impresso e assessoria de imprensa. Infraero, Engenho Comunicação, Portal Fato Online e Câmara em Pauta, Revista BNC, Assessoria de Comunicação do Sesc-DF, Empresa Brasil de Comunicação (EBC), Rádio Nacional da Amazônia e Jornal GuaráHOJE/Cidades são algumas das empresas nas quais teve a oportunidade de trabalhar com alguns dos renomados nomes do jornalismo no Brasil, e não perdeu nenhuma chance de aprender com esses profissionais. Na televisão, atuou na TV local de Patos de Minas em 2017, além de experiências acadêmicas.
    Ana Paula Oliveira nasceu em Bonfinópolis de Minas e foi morar em Brasília aos 14 anos e retorna à cidade natal em 2018. Durante os 20 anos em que passou na capital, a bonfinopolitana não desperdiçou as chances de crescer como pessoa e também como profissional, com garra e determinação. Além disso, conquistou algo não menos fundamental na sua caminhada: amigos. Isso mesmo. Para a jornalista não ter verdadeiros amigos significa ter uma vida vazia. E, com certeza, esse é um dos seus objetivos, fazer novos amigos nessa nova jornada da vida..

    Destaques

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui

    redes sociais

    0FãsCurtir
    0SeguidoresSeguir

    RECENTES