20.5 C
Brasília
segunda-feira, junho 17, 2024
Banner Anuncio
Mais...

    Aterro sanitário de Bonfinópolis de Minas começa a ser construído

    A conclusão da obra está prevista para julho de 2019

    A construção do aterro sanitário e usina de tratamento e compostagem de resíduos sólidos de Bonfinópolis de Minas foi iniciada, na última quarta-feira (09/01). Aos poucos a estrutura começa a aparecer. Pelo projeto, serão erguidos um escritório com duas salas e dois banheiros, uma guarita, cinco valas cobertas, um galpão de descarga de lixo entre outras obras necessárias para a triagem e destinação correta do lixo. O recurso para o aterro veio de um financiamento de R$ 1,5 milhão feito pela Prefeitura Municipal com o Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG). O prazo para a conclusão do projeto é de 180 dias.

    Escolhido para a construção,  o terreno fica na via acesso MG181, no sentido Riachinho (MG), KM 8, à cerca de seis quilômetros afastado da cidade. O local, que possui sete hectares foi adquirido há dois anos e no final do ano passado foi feita a licitação para escolher a empresa que vai executar o serviço. A vencedora, Percamp – Pereira Campos Engenharia Ltda de João Pinheiro, tem vasta experiência no ramo de construção de aterros sanitários, saneamento básico e captação de água em Minas Gerais.

    Carlos Braga, secretário de Obras de Bonfinópolis de Minas

    O secretário municipal de obras, Carlos Braga acompanha o projeto desde que foi encaminhado à Câmara Legislativa do município. Na visão dele, os seis meses estipulados não devem ser suficientes para a conclusão da obra. Braga calcula o prazo de um ano para vir o aterro em pleno funcionamento. “O lixo orgânico será transformado em adubo, os materiais recicláveis serão recolhidos e o que não tiver mais nenhuma utilidade será descartado na vala. Não vai ter nada exposto”, situação bem diferente do que ocorre, hoje, a alguns quilômetros do local, onde é depositado todo o lixo produzido no município, de forma desordenada.

    A conclusão da obra do aterro sanitário é urgente. Uma média de 100 caminhões de terra são despejados, a cada 30 dias no lixão, que já está esgotado. “O nosso terreno não tem mais espaço. Já estamos colocando lixo por cima de lixo”, comentou, Braga.

    O encarregado da obra, Ads Oliveira acrescenta que, além do projeto, será necessária a instalação de um alambrado para aparar sacolas plásticas e outros objetos leves, que possam voar para outros terrenos. A pesar da observação, ressaltou que a estrutura do aterro sanitário de Bonfinópolis de Minas se compara ao de João Pinheiro. “Talvez a estrutura seja até melhor. É mais organizado”, comentou, confirmando que também acha o tempo curto, mas reforça que ele e sua equipe farão o possível para cumprir.

    Empregos

    Quatro trabalhadores de Bonfinópolis de Minas já foram contratados pela empresa e o encarregado disse que ainda precisa contratar mais pedreiros e serventes de imediato. Até a conclusão dos serviços, a expectativa é a de que pelo menos dez pessoas, no total, sejam contratadas.

    Conscientização

    O prefeito do município, Donizete Antônio dos Santos não foi localizado para comentar sobre uma possível campanha de conscientização dos moradores para que cada um comece a separar o lixo em casa, mesmo antes da obra ser concluída, já que, a simples seleção dos resíduos orgânicos dos secos, já representa um adianto para catadores e para os próprios garis, que enfrentam verdadeiros desafios na rotina de coleta de lixo. Correndo riscos de acidentes com vidros, espelhos e outros objetos perfurantes, que não são embalados corretamente pelos moradores.

    Construção do aterro sanitário de Bonfinópolis de Minas



    Sobre Ana Paula Oliveira
    Jornalista formada em Brasília tendo a Capital Federal como principal cenário de atuação nos segmentos de revista, internet, jornalismo impresso e assessoria de imprensa. Infraero, Engenho Comunicação, Portal Fato Online e Câmara em Pauta, Revista BNC, Assessoria de Comunicação do Sesc-DF, Empresa Brasil de Comunicação (EBC), Rádio Nacional da Amazônia e Jornal GuaráHOJE/Cidades são algumas das empresas nas quais teve a oportunidade de trabalhar com alguns dos renomados nomes do jornalismo no Brasil, e não perdeu nenhuma chance de aprender com esses profissionais. Na televisão, atuou na TV local de Patos de Minas em 2017, além de experiências acadêmicas.
    Ana Paula Oliveira nasceu em Bonfinópolis de Minas e foi morar em Brasília aos 14 anos e retorna à cidade natal em 2018. Durante os 20 anos em que passou na capital, a bonfinopolitana não desperdiçou as chances de crescer como pessoa e também como profissional, com garra e determinação. Além disso, conquistou algo não menos fundamental na sua caminhada: amigos. Isso mesmo. Para a jornalista não ter verdadeiros amigos significa ter uma vida vazia. E, com certeza, esse é um dos seus objetivos, fazer novos amigos nessa nova jornada da vida..

    Destaques

    1 COMENTÁRIO

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui

    redes sociais

    0FãsCurtir
    0SeguidoresSeguir

    RECENTES