20.5 C
Brasília
quarta-feira, julho 24, 2024
Banner Anuncio
Mais...

    Abre um sorriso pra mim

    A música do Mar Aberto inspirou o título deste artigo. É de corações e sorrisos abertos – mesmo que de máscara – que o futuro pós pandemia deve ser encarado. Mais ainda, é preciso se preparar para um novo tempo. Tempo esse imprevisível. Depois de surpreendentes reviravoltas dos efeitos do coronavírus, diretamente na vida da população e também na economia,  talvez esse seja o momento de planejar, mesmo que superficialmente, um ideal de vida após um longo período de privações e perdas – que para muitos – são irreversíveis. Como no caso de quem perdeu entes queridos para a doença.

    Sem perder tempo, muitos brasileiros honraram a fama de povo trabalhador e se reinventaram diante do aumento do número de desempregados, eminente. Alguns adequaram suas empresas, outros criaram a própria fonte de renda, empreendendo, por meio da internet  e do drive thru. Mas tem um outro grupo de pessoas, que se viu paralisado perante a decadência financeira agravada pelo caos instaurado, logo no início da epidemia.

    É pensando na construção desse futuro incerto que a nação deve estar atenta aos acontecimentos deste ano de eleições. A CPI da Pandemia é o principal exemplo de que, nem diante da pior crise das últimas décadas os representantes políticos não respeitaram os eleitores brasileiros. Mais do que nunca, é preciso abrir os olhos e não se deixar levar por ilusões de que há um herói verdadeiro ou salvador da nossa Pátria.

    Agir pela não interferência 

    Não exaltes os homens eminentes.
    Para que não surja rivalidade entre o povo.
    Não exibas os tesouros raros,
    Para que o povo não os ambicione.
    Não despertes as cobiças,
    Para que as almas não sejam profanas.
    O governo do sábio não desperta paixões,
    Mas procura manter o povo na sobriedade,
    E dar-lhe as coisas necessárias.
    Não lhe oferece erudição,
    Mas dá-lhe cultura do coração.
    O sábio governa pelo não agir.
    E tudo permanece em ordem.

    Poema 3 do livro Lao-Tsé (Tao Te Ching)



    Sobre Ana Paula Oliveira
    Jornalista formada em Brasília tendo a Capital Federal como principal cenário de atuação nos segmentos de revista, internet, jornalismo impresso e assessoria de imprensa. Infraero, Engenho Comunicação, Portal Fato Online e Câmara em Pauta, Revista BNC, Assessoria de Comunicação do Sesc-DF, Empresa Brasil de Comunicação (EBC), Rádio Nacional da Amazônia e Jornal GuaráHOJE/Cidades são algumas das empresas nas quais teve a oportunidade de trabalhar com alguns dos renomados nomes do jornalismo no Brasil, e não perdeu nenhuma chance de aprender com esses profissionais. Na televisão, atuou na TV local de Patos de Minas em 2017, além de experiências acadêmicas.
    Ana Paula Oliveira nasceu em Bonfinópolis de Minas e foi morar em Brasília aos 14 anos e retorna à cidade natal em 2018. Durante os 20 anos em que passou na capital, a bonfinopolitana não desperdiçou as chances de crescer como pessoa e também como profissional, com garra e determinação. Além disso, conquistou algo não menos fundamental na sua caminhada: amigos. Isso mesmo. Para a jornalista não ter verdadeiros amigos significa ter uma vida vazia. E, com certeza, esse é um dos seus objetivos, fazer novos amigos nessa nova jornada da vida..

    Destaques

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui

    redes sociais

    0FãsCurtir
    0SeguidoresSeguir

    RECENTES