Produtores rurais de Bonfinópolis de Minas já podem se filiar à Cooperextra

1369
Cooperativa
Apresentação oficial da abertura da Cooperativa de Agricultura Familiar de Bonfinópolis de Minas
Publicidade

 A cota custa R$ 200, 50 % do valor deve ser pago no ato da inscrição e o restante pode ser parcelado em até 12 vezes

A cooperativa da Agricultura Familiar de Bonfinópolis de Minas (Cooperextra) já está disponível para a filiação de pequenos produtores do município. A cota custa R$ 200, 50 % do valor deve ser pago no ato da inscrição e o restante pode ser parcelado em até 12 vezes. O filiando precisa apresentar os documentos pessoais e de produtor rural, exigidos pelo estatuto. O anúncio foi feito na semana passada, na sede da Prefeitura Municipal. Desde o início deste ano, o grupo se organiza para a criação da cooperativa.

Osmar Melgaço
Osmar Melgaço

Os produtores rurais, que praticam qualquer atividade comercial deve procurar o presidente da cooperativa, Osmar Melgaço, na sede da cooperextra, na Central das Associações, no Bairro Brasilinha. “Qualquer produto comercializado, hoje, quanto maior a quantidade, mais viável fica para comercializar, seja na questão de logística, transporte. Uma empresa não se desloca até o município para recolher uma pequena quantidade de produto. Sendo um maior volume de frutas, por exemplo, desperta o interesse dos empresários. O objetivo da cooperativa é fortalecer a comercialização da agricultura familiar”, comentou, Osmar, filho de pequeno produtor.

Luiz
Luiz Araújo

O ex-prefeito de Bonfinópolis de Minas, Luiz Araújo, que atuou na criação da cooperativa, ressaltou a importância em apoiar os pequenos produtores. “Essa preocupação ambiental, intervenções nas propriedades são importantes, mas é preciso promover a produção nessas fazendas”, disse. Araújo também lembrou o receio dos produtores em investir para comercializar. “Sempre tem os questionamentos. E o povo para comprar? Será que o mercado vai absorver minha produção? O grande produtor está vendendo o seu produto?. Será que foi o mercado que abriu a oportunidade ou foi ele que se organizou e ofereceu o produto? Quem dita qual o produto que será comercializado? É o consumidor ou é quem produz? Acho que o poder está nas mãos de quem produz”, comparou, Luiz, explicando que é necessário empreender nas propriedades.

A contadora Floriza de Souza, da Líder Contabilidade de Brasilândia de Minas, esteve à frente de todo o processo burocrático da criação da cooperativa. Ela explicou que o estatuto permite o ingresso de outras atividades comerciais e incentivou os produtores a se filiarem na cooperativa. “Quando fala sobre burocracia tem muitos que acham que vai ser muito difícil e desiste sem tentar”.

Ouça o que a contadora disse sobre a importância da cooperativa e de como a filiação pode alavancar a produção e a comercialização do que é produzido nas propriedades rurais do município.

A abertura oficial da cooperativa ocorreu no mesmo evento em que o prefeito de Bonfinópolis de Minas anunciou o encaminhamento do projeto de apoio à fruticultura à Câmara Municipal. “Também participaram do encontro, jovens produtores de leite do município de Riachinho (MG), alunos da Efan (Escola Família Agrícola de Natalândia), o vereador Zé Lúcio, o presidente da Agência Vale do Urucuia, Idelbrando Ferreira e a vice, Adriana de Oliveira Rocha.