20.5 C
Brasília
segunda-feira, junho 17, 2024
Banner Anuncio
Mais...

    Programa VigiMinas vai fortalecer ações de vigilância em saúde em todo o estado

    A Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) lançou, nesta terça-feira (14/6), o Programa de Fortalecimento do Sistema Estadual de Vigilância em Saúde, o VigiMinas. A iniciativa visa reforçar o planejamento, a gestão e a execução das ações de vigilância em saúde desenvolvidas pelo Estado e pelos municípios, garantindo maior articulação e eficiência na área.

    Segundo o secretário de Estado de Saúde de Minas Gerais, o médico Fábio Baccheretti, a pandemia de coronavírus colocou em destaque a importância da vigilância em saúde, uma vez que os dados e as informações precisas do setor são necessários para a tomada de decisões efetivas e adequadas em cenários de emergências epidemiológicas.

    “Serão repassados aos municípios cerca de R$ 80 milhões em incentivos financeiros para custear o VigiMinas. Com isso, pretendemos fortalecer e melhorar a rede de vigilância de todos os nossos municípios, para que eles tenham estrutura capaz de manter e informar dados confiáveis. Os gestores precisam de ter confiança nos dados para garantir ações corretas e efetivas”, disse Baccheretti.

    O valor global do incentivo financeiro do VigiMinas foi de R$ 79.930.780,00. Desse total, 70% já foram repassados aos municípios, representando um montante de R$ 55.951.546,00.

    A subsecretária de Vigilância em Saúde, Herica Vieira Santos, explica que a implementação do VigiMinas conta com a parceria da Fundação João Pinheiro (FJP), que participa de duas etapas do programa, atuando no diagnóstico das ações desenvolvidas em Minas e na estruturação do novo papel da rede de vigilância.

    “Este é um projeto muito importante e que foi estruturado para melhorar a qualidade de vida das pessoas, porque trabalha com indicadores e informações que são amparadas pela realidade vivenciada em cada município”, afirmou Herica.

    Mônica Bernardi, vice-presidente da FJP, destaca que neste momento o papel da fundação é assessorar a SES na construção de um fluxo de trabalho que reflita a realidade dos municípios mineiros.

    Segundo Carolina Proeti, diretora de Políticas Públicas da FJP, a pandemia mostrou a importância do Sistema Único de Saúde, mas também a relevância das informações fidedignas para garantir o enfrentamento da pandemia. “Para fazer uma saúde melhor, de qualidade para todos, é necessário planejamento, monitoramento e avaliação das situações e dos cenários que de fato ocorrem. Para isso, é necessário construir um fluxo de vigilância que reflita a realidade dos 853 municípios do estado”, pontua.

    Eduardo Luiz da Silva, presidente do Conselho de Secretarias Municipais de Saúde de Minas Gerais (Cosems-MG), afirma que o programa vai redefinir as ações de saúde no Estado. “As medidas propostas pelo VigiMinas vão rediscutir e refinanciar as ações de saúde, desenvolvendo um melhor fluxo de informação entre municípios e estado e, assim, melhorando a qualidade de serviços prestados à população”, disse.

    O evento de lançamento do VigiMinas ocorreu na Fundação João Pinheiro (FJP) e teve ainda a participação dos coordenadores Regionais de Vigilância em Saúde, Sanitária e Epidemiológica e da equipe da SES-MG.

    Mesa de discussão

    Na parte da manhã, houve uma mesa de discussão sobre a importância dos dados, da notificação e dos fluxos para a tomada de decisão durante eventos de saúde ou em emergências sanitárias.

    À tarde, os participantes se envolveram em uma oficina que teve como produto final a construção de um diagnóstico da rede de vigilância em saúde. A oficina foi desenvolvida em parceria com os pesquisadores da Fundação João Pinheiro.

    O evento está disponível neste link.



    Sobre Ana Paula Oliveira
    Jornalista formada em Brasília tendo a Capital Federal como principal cenário de atuação nos segmentos de revista, internet, jornalismo impresso e assessoria de imprensa. Infraero, Engenho Comunicação, Portal Fato Online e Câmara em Pauta, Revista BNC, Assessoria de Comunicação do Sesc-DF, Empresa Brasil de Comunicação (EBC), Rádio Nacional da Amazônia e Jornal GuaráHOJE/Cidades são algumas das empresas nas quais teve a oportunidade de trabalhar com alguns dos renomados nomes do jornalismo no Brasil, e não perdeu nenhuma chance de aprender com esses profissionais. Na televisão, atuou na TV local de Patos de Minas em 2017, além de experiências acadêmicas.
    Ana Paula Oliveira nasceu em Bonfinópolis de Minas e foi morar em Brasília aos 14 anos e retorna à cidade natal em 2018. Durante os 20 anos em que passou na capital, a bonfinopolitana não desperdiçou as chances de crescer como pessoa e também como profissional, com garra e determinação. Além disso, conquistou algo não menos fundamental na sua caminhada: amigos. Isso mesmo. Para a jornalista não ter verdadeiros amigos significa ter uma vida vazia. E, com certeza, esse é um dos seus objetivos, fazer novos amigos nessa nova jornada da vida..

    Destaques

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui

    redes sociais

    0FãsCurtir
    0SeguidoresSeguir

    RECENTES