20.5 C
Brasília
terça-feira, maio 21, 2024
Banner Anuncio
Mais...

    Sedese e CEI formalizam primeira Rede de Apoio à Pessoa Idosa do Brasil

    A Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social de Minas Gerais (Sedese-MG), o Conselho Estadual da Pessoa Idosa (CEI) e representantes de várias instituições públicas e privadas formalizaram, nesta terça-feira (31/10), a composição e o funcionamento da Rede de Apoio à Pessoa Idosa (Rapi) de Minas Gerais, iniciativa inédita no Brasil.

    Sedese/Divulgação

    A assinatura do Termo de Adesão ocorreu na Cidade Administrativa de Minas Gerais e contou com a presença de autoridades como a secretária Elizabeth Jucá, que falou sobre a importância desta realização, uma vez que o Brasil tem, hoje, 15% de sua população composta por pessoas idosas.

    “Esta será a primeira Rede de Apoio à Pessoa Idosa criada no Brasil, e isso é muito bom, mas nos traz uma responsabilidade muito grande, pois temos de dar o exemplo. Temos que dar as mãos, o poder público e o terceiro setor, para termos políticas públicas mais assertivas”.

    Elizabeth Jucá ressaltou ainda a importância da adesão das 14 instituições nessa Rede, o que reforça o compromisso do Governo de Minas em colocar a pessoa idosa como prioridade. “A academia é importante, o terceiro setor, cada projeto de vocês é importante para fortalecermos essa política em Minas Gerais”, finalizou.

    Iniciativa

    A Rapi foi criada com o objetivo de proporcionar a inovação e o desenvolvimento de produção de conteúdos e materiais para auxiliar e capacitar os servidores e serviços voltados para a pessoa idosa em Minas Gerais e, também, para promover e proteger os direitos da pessoa idosa no estado.

    Duílio Campos, subsecretário de Direitos Humanos, reafirmou que a Rede foi constituída de forma muito orgânica, com pessoas que se aproximaram com o mesmo objetivo. “Tenho certeza que a Rapi de Minas Gerais pode ser referência para os outros estados e é isso que queremos. É o que contamos com cada um de vocês”, frisou.

    Mais Autoridades

    Sedese/Divulgação

    Simone Martins, professora da Universidade Federal de Viçosa, relatou que a Rede teve início em um momento difícil de pandemia, mas que possibilitou unir diversos parceiros com interesses comuns e voltados não só para superar os desafios que se apresentaram nessa crise sanitária, mas também para contribuir com o fortalecimento das políticas e ampliação dos direitos da população idosa.

    “Nossa universidade se considera uma amiga da pessoa idosa, temos feito inúmeros trabalhos na pesquisa, no ensino, na extensão, na inovação, que dizem respeito ao fortalecimento dessa pauta. É uma honra estar aqui para participar desse evento, que é um marco e abre outras possibilidades em toda Minas Gerais”, destacou.

    Rodrigo Marques da Costa, diretor Estadual de Políticas para a Pessoa Idosa, reforçou que a Rede de Apoio é uma governança colaborativa e faz parte de um processo de construção coletiva. “Sem esses atores, não conseguimos construir uma política pública sólida, com ações que vão atingir a população idosa, na garantia dos seus direitos. Esse é o momento oportuno para que a gente una esforços para garantir que a população idosa viva com mais dignidade”, completou.

    Conforme Costa afirmou, a Rapi é composta por entidades públicas e privadas, além de organizações sociais com capacidade acadêmica e/ou técnica atestada para a temática da pessoa idosa. Em Minas Gerais, ela é aberta e se caracteriza como governança colaborativa, reunindo atores da sociedade civil e do estado em prol do bem coletivo.

    Fazem parte da Rapi-MG as seguintes instituições:

    1. RIAMM – Brasil

    2. Instituição Espírita Lar de Marcos

    3. ABA – Associação Beneficente Ágape

    4. David Sackett – Institute – Doutor Gilmar Reis – PUC Minas

    5. Pró reitoria de Extensão e pós-graduação em Gerontologia da PUC Minas

    6. Respirar Consultoria em Gerontologia

    7. Gal Rosa Consultoria em Longevidade

    8. Centro Mineiro de Alianças Intersetoriais – Cemais

    9. Grupo de Trabalho Espaços Deliberativos e Governança Pública (Gegop-UFV)

    10. Conselho Metropolitano de Belo Horizonte da Sociedade São Vicente de Paulo

    11. OAB Contagem – Comissão de Direitos da Pessoa Idosa

    12. Instituto Esperança

    13. FA-VELA

    14. Frente Nacional de Fortalecimento a ILPI e Frente Cuidadosa

    Mais informações sobre a Rapi-MG podem ser encontradas neste site.



    Sobre Ana Paula Oliveira
    Jornalista formada em Brasília tendo a Capital Federal como principal cenário de atuação nos segmentos de revista, internet, jornalismo impresso e assessoria de imprensa. Infraero, Engenho Comunicação, Portal Fato Online e Câmara em Pauta, Revista BNC, Assessoria de Comunicação do Sesc-DF, Empresa Brasil de Comunicação (EBC), Rádio Nacional da Amazônia e Jornal GuaráHOJE/Cidades são algumas das empresas nas quais teve a oportunidade de trabalhar com alguns dos renomados nomes do jornalismo no Brasil, e não perdeu nenhuma chance de aprender com esses profissionais. Na televisão, atuou na TV local de Patos de Minas em 2017, além de experiências acadêmicas.
    Ana Paula Oliveira nasceu em Bonfinópolis de Minas e foi morar em Brasília aos 14 anos e retorna à cidade natal em 2018. Durante os 20 anos em que passou na capital, a bonfinopolitana não desperdiçou as chances de crescer como pessoa e também como profissional, com garra e determinação. Além disso, conquistou algo não menos fundamental na sua caminhada: amigos. Isso mesmo. Para a jornalista não ter verdadeiros amigos significa ter uma vida vazia. E, com certeza, esse é um dos seus objetivos, fazer novos amigos nessa nova jornada da vida..

    Destaques

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui

    redes sociais

    0FãsCurtir
    0SeguidoresSeguir

    RECENTES