20.5 C
Brasília
domingo, maio 19, 2024
Banner Anuncio
Mais...

    Duas mulheres ficam gravemente feridas em acidente de carro na MG-181, em Bonfinópolis de Minas

    Duas mulheres ficaram gravemente feridas em um acidente de carro na MG-181, em Bonfinópolis de Minas, neste sábado (7). Uma criança, de oito anos, que estava com elas não sofreu nada.

    Segundo as informações da Polícia Militar Rodoviária, a motorista tentou desviar de uma árvore que caiu na pista por conta da chuva e acabou perdendo o controle da direção. Em seguida, ela invadiu a contramão e bateu em outro automóvel. O condutor desse veículo teve ferimentos leves, foi atendido no local e liberado.

    Ainda de acordo com a PMRv, as duas mulheres foram atendidas por uma equipe do Samu de Bonfinópolis de Minas, elas precisaram ser encaminhadas para o Hospital Regional de Patos de Minas, onde foram internadas em estado grave.

    O trânsito chegou a ficar interditado no local onde o acidente ocorreu, mas já foi liberado. A árvore foi retirada da pista.

    Ao Diário de Bonfinópolis, Cristina Martins, irmã da condutora do veículo VW/Gol, a artesã Tereza Martins, de 46 anos, falou do estado de saúde da vítima e explicou o que as testemunhas revelaram sobre a dinâmica do acidente. O carro da artesã teve perda total e o outro veículo envolvido na colisão (VW/Voyage) foi guinchado.

    Pouco antes das 19h da última sexta-feira (06/10), um galho de árvore caído na pista sentido Riachinho de Minas teria provocado a batida frontal, mas, de acordo com as testemunhas, Ivanilto de Melo, 46 anos, dirigia em alta velocidade na via em que a máxima é de 60 km/h e não conseguiu parar o carro. Os relatos contrariam a versão do condutor, que afirma que Tereza avançou na pista contrária.

    “Ele jogou para a contramão e não tinha como ela parar. A pista estava molhada. Dava para passar por cima do galho”, afirma, Cristina. Segundo ela, a família registrou Boletim de Ocorrência na Delegacia de Polícia Civil de Bonfinópolis de Minas para os fatos sejam esclarecidos.

    Cristina, que é advogada, demonstrou otimismo na recuperação da irmã, mas relatou descaso e imprudência por parte do motorista do VW/Voyage. Ela conta que Tereza dava carona para uma mulher e sua neta de 8 anos, que não se feriram com gravidade e foram liberadas pela equipe de saúde. A passageira relatou que o condutor do veículo não prestou socorro as vítimas, mesmo não tendo se machucado.

    “Um caminhoneiro que parou e ajudou a Eliane (a passageira) a sair do carro com sua neta e chamou o socorro de Bonfinópolis. De lá solicitaram uma ambulância do Samu (Serviço Móvel de Urgência) de Paracatu (MG) e demorou muito para chegar”, ressalta.

    Segundo os relatos, foram três horas de espera, enquanto Tereza aguardava inconsciente. “Minha irmã sobreviveu por um milagre. Ela quebrou a bacia, machucou muito o tórax, quebrou um dedo, quebrou um dente e fraturou o osso do crânio. Ela ficou inconsciente e precisou ser intubada. Só acordou no outro dia, após as 9h da manhã”, conta.

    Tereza é moradora de Bonfinópolis de Minas, casada, mãe de três filhos e avó de duas netas. Nesta quarta-feira (11/10) completam seis dias de internação no Hospital Regional de Patos de Minas. Ela ainda deve passar por cirurgia na região do quadril.

    A afirma que o motorista ainda não procurou a família das vítimas para saber informações sobre o estado de saúde ou para oferecer qualquer assistência.



    Sobre Ana Paula Oliveira
    Jornalista formada em Brasília tendo a Capital Federal como principal cenário de atuação nos segmentos de revista, internet, jornalismo impresso e assessoria de imprensa. Infraero, Engenho Comunicação, Portal Fato Online e Câmara em Pauta, Revista BNC, Assessoria de Comunicação do Sesc-DF, Empresa Brasil de Comunicação (EBC), Rádio Nacional da Amazônia e Jornal GuaráHOJE/Cidades são algumas das empresas nas quais teve a oportunidade de trabalhar com alguns dos renomados nomes do jornalismo no Brasil, e não perdeu nenhuma chance de aprender com esses profissionais. Na televisão, atuou na TV local de Patos de Minas em 2017, além de experiências acadêmicas.
    Ana Paula Oliveira nasceu em Bonfinópolis de Minas e foi morar em Brasília aos 14 anos e retorna à cidade natal em 2018. Durante os 20 anos em que passou na capital, a bonfinopolitana não desperdiçou as chances de crescer como pessoa e também como profissional, com garra e determinação. Além disso, conquistou algo não menos fundamental na sua caminhada: amigos. Isso mesmo. Para a jornalista não ter verdadeiros amigos significa ter uma vida vazia. E, com certeza, esse é um dos seus objetivos, fazer novos amigos nessa nova jornada da vida..

    Destaques

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui

    redes sociais

    0FãsCurtir
    0SeguidoresSeguir

    RECENTES