20.5 C
Brasília
domingo, maio 19, 2024
Banner Anuncio
Mais...

    Equiparado valor da Bolsa Atleta de esportistas olímpicos e paralímpicos

    53391152660 a3c0b0162f c
    Foto: Renato Alves/Agência Brasília

    Atletas e paratletas do Distrito Federal vão passar a ter tratamento igualitário no pagamento de bolsa por parte do governo. Nesta segunda-feira (11), foi sancionada a lei que equipara o valor da Bolsa Atleta paga aos esportistas olímpicos ao dos atletas paralímpicos. A medida entra em vigor em 2024, com a expectativa de beneficiar 120 atletas e guias e contar com um investimento de R$ 1,8 milhão por ano, valor reajustado pela inflação.

    Júlio César Godoy, do parabadminton, comemorou: “Como atletas, ficamos mais tranquilos sabendo que vamos poder investir em viagens, em equipamentos” | Foto: Renato Alves/Agência Brasília

    Serão atendidos esportistas de inúmeras categorias, entre essas de badminton, basquetebol em cadeira de rodas, bocha, futebol de 7 e futebol de 5, futebol de campo para pessoa surda, futsal para pessoa surda, goalball e natação.

    “Essa lei traz justiça a todos vocês. É a oportunidade de estarmos no governo e fazermos coisas boas, transformando a vida das pessoas”

    Governador Ibaneis Rocha

    Durante a sanção do reajuste do Bolsa Atleta no Palácio do Buriti, o governador Ibaneis Rocha reforçou que as ações direcionadas a pessoas com deficiência (PcDs) têm ocupado positivamente a agenda do governo, e agradeceu o empenho do secretariado e dos deputados distritais pela rápida aprovação do projeto.

    Conquista

    “Essa lei traz justiça a todos vocês”, declarou, referindo-se aos atletas e paratletas. “Isso nos deixa muito felizes. É a oportunidade de estarmos no governo e fazermos coisas boas, transformando a vida das pessoas. As pautas para pessoas com deficiência têm sido quase que semanais aqui no governo, e isso nos deixa muito alegres.”

    “Sabemos as dificuldades que um atleta convencional enfrenta, imagina os paralímpicos”

    Julio Cesar Ribeiro, secretário de Esporte e Lazer

    Entre os presentes, o sentimento foi de satisfação pelo fato de os atletas passarem a receber o mesmo valor da bolsa. No esporte de alta performance, isso se explica bem. Nos Jogos Parapan-Americanos de Santiago (Chile), encerrados em novembro, o Brasil obteve a melhor campanha da história.

    A delegação conquistou 343 medalhas, sendo 15 de ouro, 98 de prata e 89 de bronze. Deste total, 97,66% dos paratletas participantes recebem Bolsa Atleta. Os esportistas olímpicos também atingiram o maior desempenho da história, conquistando 205 medalhas – 66 de ouro, 73 de prata e 66 de bronze, ficando atrás apenas dos Estados Unidos.

    Tamanho desempenho chama a atenção e reflete a necessidade de equiparação, conforme avalia o secretário de Esporte e Lazer, Julio Cesar Ribeiro: “Trazemos essa igualdade entre o esporte olímpico e o paralímpico e também dignidade para esses atletas. Sabemos as dificuldades que um atleta convencional enfrenta, imagina os paralímpicos. A bolsa paga chegava a ter uma defasagem de até 50%, então agora eles vão passar a receber o mesmo valor. No Parapan, tivemos 23 atletas de Brasília, e aqui temos 12 centros olímpicos e paralímpicos para que eles possam treinar”.

    Reajuste anual

    Medalhista de ouro e de prata no Parapan, o atleta de parabadminton Júlio César Godoy comemorou o aumento do valor da bolsa. “Nós, atletas de alto rendimento, não temos diferença do convencional para o paradesporto, então era injusto receber uma bolsa abaixo, sendo que o esforço, o tempo e a técnica são as mesmas”, considerou. “Como atletas, ficamos mais tranquilos sabendo que vamos poder investir em viagens, em equipamentos. Isso dá uma segurança”.

    Os benefícios serão reajustados anualmente, de acordo com a atualização monetária estabelecida pelo INPC/IBGE. Os recursos são originários do Fundo de Apoio ao Esporte do Distrito Federal (FAE-DF), arrecadados das loterias.

    Confira, abaixo, os valores que passam a ser pagos a cada categoria a partir de 2024.

    → Estudantil: R$ 486,27
    → Distrital: R$ 932,31
    → Nacional: R$ 2.804,24
    → Guia: R$ 932,31.



    Sobre Ana Paula Oliveira
    Jornalista formada em Brasília tendo a Capital Federal como principal cenário de atuação nos segmentos de revista, internet, jornalismo impresso e assessoria de imprensa. Infraero, Engenho Comunicação, Portal Fato Online e Câmara em Pauta, Revista BNC, Assessoria de Comunicação do Sesc-DF, Empresa Brasil de Comunicação (EBC), Rádio Nacional da Amazônia e Jornal GuaráHOJE/Cidades são algumas das empresas nas quais teve a oportunidade de trabalhar com alguns dos renomados nomes do jornalismo no Brasil, e não perdeu nenhuma chance de aprender com esses profissionais. Na televisão, atuou na TV local de Patos de Minas em 2017, além de experiências acadêmicas.
    Ana Paula Oliveira nasceu em Bonfinópolis de Minas e foi morar em Brasília aos 14 anos e retorna à cidade natal em 2018. Durante os 20 anos em que passou na capital, a bonfinopolitana não desperdiçou as chances de crescer como pessoa e também como profissional, com garra e determinação. Além disso, conquistou algo não menos fundamental na sua caminhada: amigos. Isso mesmo. Para a jornalista não ter verdadeiros amigos significa ter uma vida vazia. E, com certeza, esse é um dos seus objetivos, fazer novos amigos nessa nova jornada da vida..

    Destaques

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui

    redes sociais

    0FãsCurtir
    0SeguidoresSeguir

    RECENTES