20.5 C
Brasília
sexta-feira, julho 19, 2024
Banner Anuncio
Mais...

    Lançada Plataforma do Selo Verde em Minas

    Minas Gerais dá mais um passo rumo à economia verde. Nessa quinta-feira (28/4), o Sistema Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Sisema), por meio do Instituto Estadual de Florestas (IEF) e em parceria com a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), lançou oficialmente a plataforma Selo Verde. A ferramenta promete proporcionar transparência e maior competitividade aos produtores de Minas.

    O evento, realizado no auditório da Câmara do Mercado Imobiliário, em Belo Horizonte, contou com as presenças da secretária de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, Marília Melo; da diretora-geral do IEF, Maria Amélia Lins; do subsecretário de Política e Economia Agropecuária da Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa), João Ricardo Albanez; da Encarregada de Negócios do Reino Unido no Brasil, Melanie Hopkins, entre outras autoridades.

    A solenidade ocorreu dois dias após a assinatura do Acordo de Cooperação Técnica (ACT) entre IEF e UFMG, na própria instituição de ensino.

    O acordo prevê a realização de atividades de pesquisa científica e tecnológica que possam subsidiar a definição de estratégias para análise do Cadastro Ambiental Rural (CAR); a implementação da política de regularização ambiental de imóveis rurais por meio do Programa de Regularização Ambiental (PRA), além do monitoramento e avaliação de ações de promoção da conservação e da restauração ecológica/recuperação ambiental em Minas Gerais.

    Selo Verde

    Em paralelo, a parceria entre o IEF e a UFMG também proporcionará a troca de experiências com a Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas) do Pará, estado referência na implementação do CAR/PRA. Por lá também está sendo testada a Plataforma Selo Verde, que disponibiliza as informações de rastreabilidade da cadeia produtiva da pecuária em todo o estado, para ficar em conformidade com os mercados nacional e internacional.

    A UFMG é parceira do Semas no projeto. Em Minas, ela será disponibilizada por plataforma web, cruzando diversas informações em diversos sistemas, como o Sistema Nacional de Cadastro Ambiental Rural (Sicar), Sistema de Fiscalização e Auto de Infração Digital (Sisfai), Sistema de Fiscalização (Sisfis), Infraestrutura de Dados Espaciais do Sistema Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (IDE-Sisema), entre outras bases georreferenciadas.

    A plataforma também permitirá monitorar e avaliar as políticas públicas voltadas, entre outras, para o desenvolvimento da produção agropecuária em Minas Gerais, e também subsidiar as ações de gestão ambiental do estado.

    A diretora-geral do IEF, Maria Amélia Lins, acredita que a ferramenta proporcionará uma camada de transparência quanto à origem dos produtos, trazendo vantagens para o produtor, que estará cumprindo a exigência dos mercados internacionais, e para o comprador, que terá acesso à procedência dos itens.

    “O uso da plataforma tanto pelo produtor quanto pelos compradores será benéfica pelas informações quanto à procedência da origem dos produtos, proporcionando uma maior transparência, o que é exigido nos mercados internacionais”, garante a diretora-geral.

    CAR 2.0

    Além do Selo Verde, a parceria viabilizará a construção do “CAR 2.0”, que pretende facilitar a vida de quem depende da plataforma. Com a versão atualizada, um algoritmo calculará de forma automática, por exemplo, anistias e descontos aplicados com base na legislação. No fim do processo, o sistema aponta cadastros que precisam de uma intervenção ou processo de recuperação daqueles que não precisam, reduzindo o tempo de análise do servidor.

    De acordo com o professor de Gestão Ambiental da UFMG, Raoni Rajão, a ferramenta fornece um diagnóstico que mostra a situação ambiental do imóvel rural, se ele tem, por exemplo, histórico de desmatamento, o que é um fator importante para os mercados.

    “Se você não tem um sistema que demonstre isso de forma automática, o mesmo produtor não vai ter como demonstrar isso aos mercados, por isso, a importância do CAR 2.0 com o Selo Verde”, disse Raoni, que apresentou as duas plataformas ao público durante o evento e tirou dúvidas sobre as ferramentas.

    Minas Gerais possui um dos maiores quantitativos de imóveis inscritos na plataforma Sicar e se beneficiará do incremento em ferramentas geotecnológicas que permitam modelar e definir as melhores estratégias de início das análises, o que será possível com a parceria.

    Economia verde

    A secretária Marília Melo destacou que está reforçando a agenda de mudanças climáticas e acredita que as duas plataformas ajudarão o estado a avançar no desenvolvimento sustentável. Marília ressaltou que o Selo Verde proporcionará um diferencial de mercado aos produtores mineiros e que o CAR 2.0 dá uma possibilidade no avanço da regularização das propriedades rurais do estado.

    “Esse é um dia muito significativo para avançarmos a cada dia nessa agenda do desenvolvimento sustentável e mostrar para o mundo que Minas Gerais quer uma agricultura diferente, um desenvolvimento diferente. Ela se coloca como um mercado muito promissor para o futuro”.

    João Ricardo Albanez, da Seapa, reforçou a gama de alimentos produzidos em Minas, como leite, queijo, frango e galinha caipira. Assim como Marília Melo, ele crê que as duas plataformas enriquecerão a produção do estado.

    “Essa demanda de produtos no mercado externo está ocorrendo, mas todos estão aumentando as expectativas de produção. Então, nós precisamos apresentar produtos diferenciados, e vejo que as ferramentas vão permitir. Estou muito satisfeito com o que eu vi”, celebrou Albanez.

    Melanie Hopkins, disse que o governo do Reino Unido reconhece o papel de Minas na economia nacional e o nível de compromisso do estado com a adesão à campanha Race to Zero, que possui o objetivo de alcançar emissões líquidas zero de gases de efeito estufa até 2050, o que deverá limitar o aumento da temperatura global a 1,5 grau. Ela disse, ainda, que a ação do estado inspirou outras unidades federativas no que diz respeito à conformidade ambiental.

    “Minas demonstrou um claro engajamento no que o Reino Unido promove sobre como gerar prosperidade e desenvolvimento econômico sustentável com uma economia verde”, concluiu Melanie.

    A previsão é que neste ano sejam feitas as análises preparatórias e montadas as bases da plataforma Selo Verde, para que uma versão beta seja publicada em Minas, assim como já está no ar no Pará. Até o término de 2022 também devem ser divulgados os primeiros resultados do “CAR 2.0”.



    Sobre Ana Paula Oliveira
    Jornalista formada em Brasília tendo a Capital Federal como principal cenário de atuação nos segmentos de revista, internet, jornalismo impresso e assessoria de imprensa. Infraero, Engenho Comunicação, Portal Fato Online e Câmara em Pauta, Revista BNC, Assessoria de Comunicação do Sesc-DF, Empresa Brasil de Comunicação (EBC), Rádio Nacional da Amazônia e Jornal GuaráHOJE/Cidades são algumas das empresas nas quais teve a oportunidade de trabalhar com alguns dos renomados nomes do jornalismo no Brasil, e não perdeu nenhuma chance de aprender com esses profissionais. Na televisão, atuou na TV local de Patos de Minas em 2017, além de experiências acadêmicas.
    Ana Paula Oliveira nasceu em Bonfinópolis de Minas e foi morar em Brasília aos 14 anos e retorna à cidade natal em 2018. Durante os 20 anos em que passou na capital, a bonfinopolitana não desperdiçou as chances de crescer como pessoa e também como profissional, com garra e determinação. Além disso, conquistou algo não menos fundamental na sua caminhada: amigos. Isso mesmo. Para a jornalista não ter verdadeiros amigos significa ter uma vida vazia. E, com certeza, esse é um dos seus objetivos, fazer novos amigos nessa nova jornada da vida..

    Destaques

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui

    redes sociais

    0FãsCurtir
    0SeguidoresSeguir

    RECENTES