20.5 C
Brasília
quinta-feira, maio 23, 2024
Banner Anuncio
Mais...

    ‘Enem dos concursos’: nove ministérios já aderiram à seleção unificada

    O Concurso Nacional Unificado, a prova única lançada pelo governo federal que tem sido chamada de “Enem dos concursos públicos”, já conta com a adesão de nove ministérios e uma agência reguladora, segundo o Ministério da Gestão, que organiza o novo sistema. As pastas têm até o dia 29 de setembro para manifestarem interesse em aderir à prova, que tem data provável para ser aplicada no dia 25 de fevereiro de 2024.

    Entre os órgãos que aderiram, estão:

    1. Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação;
    2. Ministério dos Povos Indígenas;
    3. Ministério da Saúde;
    4. Ministério do Trabalho e Emprego;
    5. Ministério da Gestão e da Inovação em Serviços Públicos;
    6. Ministério do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços;
    7. Ministério da Justiça e Segurança Pública;
    8. Ministério do Planejamento e Orçamento;
    9. Ministério da Previdência Social;
    10. Agência Nacional de Transportes Aquaviários.

    Ao todo, serão oferecidas 5.151 vagas. Segundo o governo federal, esse modelo unificado irá agilizar a contratação de servidores após a perda de 73 mil funcionários públicos ao longo dos últimos seis anos.

    A ideia também é tentar democratizar o acesso às vagas públicas a partir da dispersão geográfica na realização do concurso, com aproximadamente 180 cidades listadas como locais de aplicação de prova, além de racionalizar os custos.

    Na quarta-feira (20), será criado um comitê para a organização do concurso e do edital, que deve ser publicado em 20 de dezembro, de acordo com o cronograma divulgado pelo governo federal.

    Como vai funcionar o concurso Nacional Unificado?

    A prova será aplicada em 179 municípios brasileiros. De acordo com o Ministério da Gestão, para seleção das cidades, foram considerados fatores como densidade populacional, facilidade de acesso e raio de influência de regional de cidades médias a grandes, delimitando municípios com mais de 100 mil habitantes e 50 mil habitantes, no caso específico da região Norte do País.

    No momento da inscrição – ainda sem data – os candidatos deverão optar por um dos blocos das áreas de atuação governamental disponíveis no certame. Depois desta escolha, os candidatos deverão indicar seu cargo/carreira por ordem de preferência entre as vagas disponíveis no bloco de sua escolha.

    O local de atuação para cada vaga estará disponível quando houver um desenho completo da distribuição das oportunidades, segundo José Celso Cardoso, secretário de Gestão de Pessoas, que adiantou que a maioria provavelmente será exercida na capital federal.

    “Grande parte das vagas estão destinadas a Brasília mesmo, que são órgãos da administração central […] Alguns órgãos como Ibama, IBGE, Funai, INSS, a gente sabe que têm escritórios regionais”, disse o secretário em live realizada no dia 1º de setembro. “O candidato não vai prestar a prova pré-escolhendo o local onde vai exercer a função, isso vai ser uma escolha que se dará depois, em função de sua classificação e em função da disponibilidade de lugares onde esse exercício poderá acontecer”, acrescentou.

    O concurso será dividido em dois momentos na mesma data (prevista para ser dia 25 de fevereiro): sendo o primeiro dia com prova objetiva comum a todos os candidadtos, e o segundo dia com provas específicas e dissertativas por blocos temáticos. Os resultados gerais da primeira fase devem ser divulgados até o final de abril de 2024.

    “A prova é num único dia com provas objetivas específicas, inclusive a dissertativa por área de atuação. Depois de computadas as notas dessas provas, é que se aplicam sobre as notas as pontuações específicas que cada órgão ou carreira quiser agregar em termos de titulação acadêmica e de perfis de experiências. Isso já é de praxe, os órgãos já fazem isso nos concursos tradicionais e vão continuar podendo fazer”, disse Cardoso.



    Sobre Ana Paula Oliveira
    Jornalista formada em Brasília tendo a Capital Federal como principal cenário de atuação nos segmentos de revista, internet, jornalismo impresso e assessoria de imprensa. Infraero, Engenho Comunicação, Portal Fato Online e Câmara em Pauta, Revista BNC, Assessoria de Comunicação do Sesc-DF, Empresa Brasil de Comunicação (EBC), Rádio Nacional da Amazônia e Jornal GuaráHOJE/Cidades são algumas das empresas nas quais teve a oportunidade de trabalhar com alguns dos renomados nomes do jornalismo no Brasil, e não perdeu nenhuma chance de aprender com esses profissionais. Na televisão, atuou na TV local de Patos de Minas em 2017, além de experiências acadêmicas.
    Ana Paula Oliveira nasceu em Bonfinópolis de Minas e foi morar em Brasília aos 14 anos e retorna à cidade natal em 2018. Durante os 20 anos em que passou na capital, a bonfinopolitana não desperdiçou as chances de crescer como pessoa e também como profissional, com garra e determinação. Além disso, conquistou algo não menos fundamental na sua caminhada: amigos. Isso mesmo. Para a jornalista não ter verdadeiros amigos significa ter uma vida vazia. E, com certeza, esse é um dos seus objetivos, fazer novos amigos nessa nova jornada da vida..

    Destaques

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui

    redes sociais

    0FãsCurtir
    0SeguidoresSeguir

    RECENTES