Epamig lança aplicativo gratuito para gerenciamento de custos na atividade leiteira

Gercal está disponível para dispositivos Android

473
Epamig
Divulgação: Epamig
Publicidade

O controle de custos na produção de leite é um dos principais gargalos da atividade. Para auxiliar nessa tarefa, a Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig) desenvolveu e disponibiliza, gratuitamente, o aplicativo de Gerenciamento de Custos na Atividade Leiteira (Gercal). Após a entrada dos dados cadastrais e financeiros e de informações sobre o rebanho, o sistema possibilita a compilação e apresentação dos resultados por meio de um demonstrativo consolidado.

“O Gercal é um aplicativo livre e gratuito, específico para a contabilidade gerencial e apuração dos custos de produção de propriedades dedicadas à produção de leite, que pode ser utilizado por produtores de leite, gestores de propriedades leiteiras e técnicos dos setores público e privado. Possui linguagem simples e fácil operacionalidade, além de funcionar em sistema Android, com download disponível pela Play Store, o que o torna de fácil acesso à maioria dos smartphones”, explica Djalma Pelegrini, pesquisador da Epamig, e um dos idealizadores da ferramenta.

O economista Thiago Ladeira, desenvolvedor do aplicativo, destaca que o relatório consolidado possibilita ao produtor, gestor ou técnico interpretar o desempenho econômico-financeiro da propriedade. “O consolidado apresenta o somatório das receitas, das despesas e dos custos (operacional efetivo, depreciação, operacional total e custo unitário do leite), e também a Margem Bruta e a Margem Líquida. E também se presta como instrumento muito útil para avaliação do desempenho técnico da propriedade, o que torna possível indicar intervenções no sistema de produção, caso seja necessário”.

Djalma Pelegrini acrescenta que o Gercal está disponível para todos os produtores de leite, mas deve ser mais útil para pecuaristas que operam em pequena escala e que queiram iniciar o gerenciamento de custos. “Trata-se de um app de fácil operação, que não registra dados zootécnicos e é específico para gestão econômico-financeira de propriedades de produção de leite. Contudo, tendo em vista que produtores de leite que operam com média e grande escala, em geral, já adotam algum tipo de ferramenta de gestão, acreditamos que o Gercal possa ser mais amplamente utilizado por aqueles produtores que operam em pequena escala e que, por enquanto, não utilizam nenhum tipo de software ou aplicativo para gestão das propriedades”.

Ferramenta necessária

Nair Ferreira Campos Batista é responsável pela gestão financeira de uma propriedade produtora de leite, que mantém junto com o marido no município de João Pinheiro (MG). “Nosso trabalho é inteiramente voltado para a pecuária leiteira, temos até pesquisado alternativas para a diversificação, mas persistimos na atividade que vem de gerações na família do meu marido. Nossa produção média é de 800 litros e vendemos para uma cooperativa da região (CCPR)”.

A produtora, que está na atividade há 30 anos, conta que tomou conhecimento do Gercal pela internet há cerca de seis meses e logo fez contato para conhecer melhor o aplicativo. “Como venho da área de gestão, sei da necessidade de acompanhar na ponta do lápis as despesas e receitas. É uma ferramenta necessária para o produtor, que precisa conhecer suas necessidades e gerenciar adequadamente os gastos de sua propriedade. O relatório consolidado traz muita informação. No caso específico da nossa fazenda, combino essas informações com os dados de formulários manuais, que preenchemos para a cooperativa”.

Para Nair, os pecuaristas precisam de suporte técnico e tecnológico para garantirem a viabilidade e a sustentabilidade da atividade. “Nós sabemos que quem está na pecuária leiteira é persistente, se empenha pelo amor à produção e à propriedade, mas os custos estão muito altos e os ganhos não têm crescido na mesma proporção, pelo contrário, às vezes oscilam para baixo. Precisamos de mais ferramentas como o Gercal que nos permitam ter dados mais precisos, animal por animal, que possamos nos auxiliem na tomada de decisões”.

FONTEAgência Minas
Artigo anteriorDF terá mutirão de testagem e vacinação contra Covid neste sábado. Veja os locais
Próximo artigoMora no DF? Veja se você precisa atualizar o Cadastro Único
Jornalista formada em Brasília tendo a Capital Federal como principal cenário de atuação nos segmentos de revista, internet, jornalismo impresso e assessoria de imprensa. Infraero, Engenho Comunicação, Portal Fato Online e Câmara em Pauta, Revista BNC, Assessoria de Comunicação do Sesc-DF, Empresa Brasil de Comunicação (EBC), Rádio Nacional da Amazônia e Jornal GuaráHOJE/Cidades são algumas das empresas nas quais teve a oportunidade de trabalhar com alguns dos renomados nomes do jornalismo no Brasil, e não perdeu nenhuma chance de aprender com esses profissionais. Na televisão, atuou na TV local de Patos de Minas em 2017, além de experiências acadêmicas. Ana Paula Oliveira nasceu em Bonfinópolis de Minas e foi morar em Brasília aos 14 anos e retorna à cidade natal em 2018. Durante os 20 anos em que passou na capital, a bonfinopolitana não desperdiçou as chances de crescer como pessoa e também como profissional, com garra e determinação. Além disso, conquistou algo não menos fundamental na sua caminhada: amigos. Isso mesmo. Para a jornalista não ter verdadeiros amigos significa ter uma vida vazia. E, com certeza, esse é um dos seus objetivos, fazer novos amigos nessa nova jornada da vida.